PUB
Escola E.B. 2/3 das Taipas – alunos já utilizam cartão magnético
Quinta-feira, Setembro 29, 2005

Os alunos da escola E. B. 2/3 das Taipas já não precisam de passar parte dos intervalos das aulas em filas para tirarem senha para o almoço, para o bar ou para outro tipo de situação que implique pagamento.

Também já não terão tanta facilidade em “esconder” ou protelar no tempo a informação relativa à sua vida escolar, aos encarregados de educação. Isto porque, desde o início do ano lectivo, os alunos têm à sua disposição um cartão de banda magnética que lhes proporcionará realizar um vasto leque de operações habituais na sua actividade escolar.
Desde pagar fotocópias, marcar e comprar as refeições diárias, adquirir material na pape-laria da escola, utilizar o bar. Ou seja, vida facilitada para os alunos que, com um simples carregamento do cartão, deixam de andar com dinheiro no bolso (mesmo que em pequenas quantias) para passar a transportar “dinheiro plástico” e, essencialmente, para os pais que passam a poder controlar com mais precisão todos os gastos do seu educando.
Para Mário Rodrigues, Presidente do Conselho Executivo da Escola, trata-se duma iniciativa que vem facilitar muito a vida dos alunos, professores, encarregados de educação e do próprio órgão executivo da escola. Todas as operações que até aqui envolviam dinheiro passam a ser efectuadas através de um cartão, o que evita que os alunos tragam dinheiro para a escola.
É um sistema que está a ser implementado e desenvolvido por fases. O objectivo é que a muito curto prazo, o cartão sirva também para o controlo de entradas e saídas dos alunos, principalmente daqueles que, em função dos seus horários, terminam as aulas a meio da manhã ou tarde, possibilitando ao funcionário da portaria acesso ao horário escolar do aluno. Também a nível pedagógico, toda a informação do aluno está disponibilizada no referido cartão. Qualquer encarregado de educação que, junto do respectivo director de turma, queira inteirar-se da vida escolar do seu educando, como gasta o dinheiro, onde o gasta, número de faltas às diferentes disciplinas, notas obtidas, entre outras, terá toda a informação disponibilizada no cartão magnético.
Os custos com esta iniciativa, apesar de não estarem ainda totalmente apurados, estimam em cerca de 10 a 12 mil euros. Em todo o processo houve um aproveitamento de alguns meios existentes na escola, nomeadamente na utilização de alguns computadores para gerir todo o processo. É ainda objectivo do Conselho Executivo, a partir do próximo ano, possibilitar a que os pais, a partir de casa (Internet) passem a ter toda esta informação.
Nota ainda para o caso de perda, extravio ou roubo do cartão. O aluno deve imediatamente dar conta disso ao conselho executivo, ser-lhe-á entregues novo cartão e transferida, por meio informático, toda a informação constante do anterior, nomeadamente o saldo monetário.

Manuel António Silva
mas@reflexodigital.com

Artigos Relacionados