PUB
Dois países juntam-se ao “clube” europeu e Alemanha preside a UE
Quarta-feira, Janeiro 3, 2007

1 de Janeiro de 2007 foi marcado pelo alargamento da UE a mais dois países: a Roménia e a Bulgária. Além disso, a Alemanha toma conta da presidência da união nos próximos seis meses.

União Europeia passa a 27
Desde o primeiro dia do ano de 2007 que a União Europeia é constituída por mais dois países: a Bulgária e a Roménia. O clube passa a ter 27 elementos depois daquele que foi o sexto largamento, depois de a UE ter ganho dez novos estados-membros em 2004.

A Bulgária e a Roménia estavam para entrar nessa altura, mas as negociações atrasaram-se nestes dois países devido ao não cumprimento de alguns critérios sócio-económicos. Mesmo assim, ambos os países estão a cumprir apertados critérios de salvaguarda.

A população da união ganha assim 30 milhões de habitantes. A população da Roménia é de cerca de 22 milhões e a da Bulgária de cerca de oito milhões. Neste momento a UE tem uma população de cerca de 490 milhões de habitantes. O peso relativo da população portuguesa na UE passa de 2,17 para 2,04 por cento.

Sófia e Bucareste são, respectivamente a capital da Bulgária e da Roménia. Em termos de indicadores económicos o PIB por habitante nos dois países ronda os 3800 euros, cerca de 33% da média da UE.

O conjunto da União Europeia é a terceira região do planeta com maior população, a seguir à China e à Índia. Os Estados unidos da América estão a seguir com 300 milhões de habitantes.

Alemanha na Presidência da União antes de Portugal
Igualmente com a entrada em 2007, a Alemanha de Angela Merkel tomou da Finlândia a cadeira da presidência da União Europeia.

São vários os desafios que a presidência alemã coloca a si própria, como são igualmente elevadas as expectativas quanto aos próximos seis meses. Temas como o relançamento do debate sobre o Tratado Constitucional Europeu e as negociações sobre o mercado energético fazem parte da agenda. No que toca às relações externas da União Europeia, a Alemanha ficou com a “batata quente” da gestão de relações com os russos, passada pelos finlandeses.

De resto, na hora da passagem de testemunho, a presidência da Finlândia foi caracterizada, de uma forma geral, por uma série de fracassos. Desde logo, os parcos resultados obtidos nas negociações com a Turquia – um dos países que fazem parte do processo de alargamento da União Europeia.

O governo turco tem oferecido algumas resistências na tomada de algumas reformas estruturais, assim como na assumpção de referências básicas no que toca, por exemplo, aos direitos humanos. Além disso, a Turquia tem mantido a sua recusa em levantar o embargo comercial com Chipre (um dos países que aderiu à UE em 2004).

Estes, a somar aos que a Alemanha poderá deixar na agenda, poderão ser algumas das questões que Portugal, que preside à União no segundo semestre de 2007, terá de resolver. Factor que poderá ser determinante: as eleições presidenciais em França, no mês de Abril.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados