PUB
Discussão do aumento de capital na Taipas Turitermas domina Assembleia Municipal
Terça-feira, Outubro 4, 2016

A quarta sessão da Assembleia Municipal de Guimarães, que começou na passada sexta-feira, 30 de Setembro, foi retomada segunda-feira. No capitulo das entidades participadas a Taipas Turitermas acendeu a troca de argumentos nas bancadas.

A proposta de aumento de capital por parte da Câmara Municipal de Guimarães, na cooperativa Taipas Turitermas, foi o ponto que dominou a segunda parte da sessão da Assembleia Municipal de Guimarães.

Em causa está a aprovação do aumento de capital no valor de 1,6 milhões de euros. Este ponto passou por maioria com os votos contra do PSD, CDS e MPT e ainda com a abstenção do BE. A discussão deste ponto motivou uma acesa troca de argumentos entre as bancadas.

Do lado do PSD e do CDS foi oposto o argumento de que o investimento feito na cooperativa representava a concorrência directa com agentes privados, que desenvolvem as mesmas actividades, no sector privado, ao nível da fisioterapia.

Além disso, foi também questionada a gestão de Taipas Turitermas. Os deputados do PSD e do CDS estranham por que razão a cooperativa não consegue gerar meios próprios capazes de suportar os investimentos necessários. Foi mesmo referido que a Taipas Turitermas teve resultados negativos em quatro dos últimos cinco anos.

O deputado Manuel Ribeiro, também tesoureiro da Junta de Freguesia de Caldelas, insurgiu-se contra a injecção de mais capital na entidade que gere o edifício termal, as piscinas e o parque de campismo, na vila de Caldas das Taipas. Manuel Ribeiro referiu-se ainda ao desvio que está a ser feito no objecto social da cooperativa, colocando-a em confronto com os privados.

Nelson Felgueiras, do PS, rebateu os argumentos das bancadas dos partidos de direita referindo que o trabalho que está a ser desenvolvido na Taipas Turitermas se reflecte nos números. Felgueiras observou ainda o facto de o deputado Manuel Ribeiro, enquanto tesoureiro da Junta de Freguesia, que tem assento na assembleia de cooperantes, nunca ter votado contra as contas da cooperativa.

Ainda o deputado do Bloco de Esquerda, Joaquim Teixeira, questionou a Câmara Municipal sobre o regime de utilização do polidesportivo no parque de lazer, que está em construção. No entender o deputado bloquista não faz sentido o contribuinte pagar duas vezes pelo mesmo – uma pelo dinheiro investido pela Câmara e outra pela utilização do equipamento.

O Bloco absteve-se de votar e prometeu que se voltar a subir à assembleia um novo aumento de capital na Taipas Turitermas, o Bloco de Esquerda fará questão de lembrar que “alguém anda a fazer festa à custa do dinheiro dos vimaranenses” – disse o deputado, arrancando um burburinho da assembleia.

Em resposta às questões colocadas pelos deputados, o presidente Domingos Bragança sublinhou que o investimento nas termas das Taipas são para a vila e para o concelho um investimento num activo estratégico.

Como já o havia afirmado, na altura da votação da proposta no executivo, Bragança repetiu que, se a Taipas Turitermas não tivesse conseguido o financiamento que conseguiu, o investimento seria assegurado pela Câmara Municipal.

O presidente da Câmara Municipal terminou deduzindo que os taipenses não gostariam de ouvir que os investimentos estratégicos para a vila estão a ser postos em questão – “os taipenses que nos ouvirem não gostarão do que ouviram dizer do deputado Manuel Ribeiro”.