Direcção da Escola Secundária reage a notícia do Jornal de Notícias
Quarta-feira, Junho 23, 2010

José Augusto Araújo, Director da Escola Secundária das Taipas, nega que o toque da sirene dos bombeiros das Taipas perturbe o normal funcionamento da escola que dirige.

A sirene dos bombeiros das Taipas foi notícia no Jornal de Notícias (JN) de ontem (22 Junho). O tema já havia sido falado em 2001, aquando da aprovação da “Lei do Ruído” e na edição do JN de ontem volta a ser abordado.

“«São minutos insuportáveis, parecem horas», queixa-se uma mulher, mãe de duas crianças, residente num bloco de apartamentos junto aos bombeiros das Taipas, em Guimarães. Sempre que tem uma emergência, a corporação usa a sirene, para desespero dos vizinhos”, refere a notícia.

Mais à frente, pode ainda ler-se que “perto do quartel, localiza-se a escola secundária onde as aulas são ‘interrompidas’ quando toca a sirene”.

Foi esta última afirmação que levou a Direcção da Escola Secundária das Taipas, na pessoa do seu presidente, José Augusto Araújo, a tomar uma posição pública, referindo que “os termos em que a notícia relaciona a Escola Secundária das Taipas com a questão do toque da sirene dos bombeiros, são absolutamente falsos e abusivos. Nunca a sirene dos bombeiros criou qualquer incómodo, muito menos perturbações, no normal funcionamento da escola”.

Por parte dos bombeiros taipenses o Comandante, Hermenegildo Abreu, refere que esta é uma “questão que em tempos já foi levantada e que na devida altura foi convenientemente esclarecida”. Em todo o caso, “está-se a tentar conhecer, junto das entidades competentes, os termos em que o pretenso abaixo-assinado foi fundamentado para se poder agir em conformidade”, referiu.

Texto: Manuel António Silva