PUB
Digressão por sete coretos do concelho de Guimarães ao som dos blues
Quinta-feira, Julho 23, 2015

Trata-se de um evento peculiar que aproveita estes equipamentos – os coretos, que noutros tempos serviam de palco para programas recreativos. Hoje os coretos são utilizados apenas em circunstâncias muito particulares como festas ou romarias.

A origem dos coretos remonta aos parques românticos que começaram a ser construídos nas cidades, após a Revolução Industrial, em meados do século XIX. Com vista a combater a degradação das condições ambientais das cidades, houve quarteirões inteiros que foram demolidos nos centros das cidades, para dar lugar a parques e jardins – locais arejados onde a alta sociedade se pudesse passear, principalmente em Inglaterra.

A moda dos coretos veio assim importada das grandes cidades europeias e começaram a ocupar as cidades portuguesas na viragem para o século XX onde, à semelhança do que acontecia nos outros países, eram utilizados para programas recreativos da alta sociedade.

Alguns coretos situavam-se em locais de acesso reservado, como os passeios públicos aos quais apenas tinham acesso as classes mais altas da sociedade. Era o caso de Guimarães onde o coreto chegou a estar no centro do Toural, numa altura em que o jardim central da praça era vedado com gradeamento.

Das cidades, os coretos começaram a chegar a povoações mais pequenas e mesmo aí, nas várias povoações e aldeias de Portugal, os coretos ocupam lugares centrais e de acesso privilegiado. A utilização dos coretos, na generalidade, entrou em declínio e muitos deles foram-se degradando com o tempo. Alguns desapareceram, foram demolidos, outros tiveram melhor sorte.

Recentemente alguns destes coretos foram redescobertos como equipamento a preservar e alguns foram mesmo alvo de obras de restauro, como foi o caso das Caldas das Taipas, onde a Junta de Freguesia recuperou o coreto local, no ano de 2006.

Actualmente o coreto da cidade de Guimarães está situado na Alameda de S. Dâmaso, onde se tem realizado a iniciativa Associações ao Coreto, promovida pelo Círculo de Arte e Recreio (C.A.R.) em conjunto com várias associações do concelho de Guimarães.

Este sábado, 25 de Julho, realiza-se uma digressão por vários coretos do concelho de Guimarães, numa iniciativa da Câmara Municipal de Guimarães e a associação Convívio, que também organiza o Guimarães Jazz. Ao todo, serão sete os locais contemplados por esta tour pelos coretos de Guimarães.

A banda teve origem na iniciativa Associações ao Coreto, a que já fizemos referência. No seu nome está a palavra bandstand – que é, sugestivamente, a designação que os ingleses davam ao que nós, portugueses, passamos a chamar de coreto.

A Bandstand Blues Band é uma banda que toca blues – um estilo musical congénere do jazz, que foi também ele importado, neste caso dos Estados Unidos da América. Os músicos, esses, são todos vimaranenses.

HORÁRIO DAS ACTUAÇÕES DA DIGRESSÃO PELO CORETOS
10h – Coreto de São Torcato
11.30h – Coreto de Gondomar
14.30h – Coreto de Selho (S. Jorge)
16h – Coreto de Souto (S. Salvador)
17.30h – Coreto de Briteiros (St.ª Leocádia)
19h – Coreto das Caldas das Taipas
22h – Coreto da Alameda de S. Dâmaso (Guimarães)