PUB
Dia Mundial da Criança cheio de atividades na Escola do Pinheiral
Sexta-feira, Junho 3, 2016

Teatro de fantoches, torneio de futebol e inauguração de um quadro de Picasso, pintado pelos alunos do 4º ano daquela escola, preencheram o Dia Mundial da Criança, na Escola do Pinheiral.

Em Dia Mundial da Criança, o relato das atividades realizadas na Escola do Pinheiral, nas Taipas, chegou-nos por intermédio de um grupo de alunos daquele estabelecimento escolar, que faz parte do clube do “Pinheiral Notícias”:

O Dia Mundial da Criança

O dia Mundial da Criança foi de arrasar!

As crianças da Escola do Pinheiral foram ao centro Paroquial ver um teatro com fantoches que contava uma história que se chamava “ O Pirilampo”.

Essa história falava sobre um pirilampo que perdeu a sua luz.

Foi muito divertido!

Das restantes atividades durante o dia, destacamos o torneio de futebol e o lanche, que foi pão-de-ló e sumo para todas a turmas.

Para finalizar, houve uma grande inauguração do Painel de Picasso feito pelas Turmas do 4.º ano, do professor Francisco Bernardo e da Professora Manuela Marques. Esta inauguração contou com a presença do Diretor do Agrupamento Mário Rodrigues, do Coordenador da Escola, António Vilela, do representante da Associação de Pais, Hilário Gomes e de todos os professores da escola.

Este painel está muito bonito e é de grandes dimensões. Têm de visitar a escola para o verem ao vivo!

Texto: Catarina Machado, Camila Costa.
Fotografia: Francisca Silva, Valéria Alves, Associação de Pais e professores.

Sobre o assunto, resta acrescentar que a referida pintura está colocada num dos corredores da escola, tem aproximadamente 2 metros de altura e 4 de largura e foi o culminar do trabalho desenvolvido pelos alunos ao nível das expressões. Fizerem desenho de observação e vários estudos e a pintura surgiu depois de observarem os problemas dos refugiados e relacionarem-nos com os problemas retratados noutras épocas da história, resultando, assim, no trabalho do Picasso, a “GUERNICA”.

A técnica utilizada foi, essencialmente, acrílico sobre papel de cenário, com uma base de desenho. Os alunos trabalharam em muitos intervalos e empenharam-se muito a sério. As duas turmas trabalharam de forma autónoma, desenvolvendo competências que são transversais a todas as áreas do conhecimento – importância da observação e da concentração, a persistência, a história, a arte, a matemática através da proporção, o Português através da oralidade e da discussão sobre as problemáticas.

Os principais obreiros desta iniciativa foram os seguintes:

Turma do Professor Francisco Bernardo – Adriana Costa, Adriana Rocha, Ana Alves, André Marques, Ariana Vieira, Beatriz Guerreiro, Bianca Marques, Catarina Gomes, Diana Rodrigues, Diogo Filipe Silva, Diogo João Marques, Edgar Freitas, Francisca Castro, Gonçalo Antunes, João Pedro Oliveira, João Pedro Pacheco Ribeiro, João Francisco Duarte, Mafalda Duarte, Marcos Ferreira, Mariana Gomes, Marta Duarte, Miguel Martinho, Rodrigo Antunes, Sara Crespo e Sara Isabel Arantes.

Turma da Professora Manuela Marques – Afonso Gomes, Afonso Marques, Alexandre Machado, Ana Maria Silva, Ana Rita Mendes, Ângela Magalhães, Artur Yankovyy, Beatriz Costa, Catarina Pereira, Francisca Carvalho, Francisco Faria, Gonçalo Ribeiro, Guilherme Braga, Inês Vaz, Inês Maria Silva, Inês Ferreira, João Leite Marques, João Pedro Marques, Gabriel Castro, José Magalhães, Maria, Luísa Marques, Maria Marques, Ricardo Mendes, Sara Marques, Tiago cunha e Vítor Oliveira.