PUB
Detenção em Espanha leva família a viver dias difíceis
Terça-feira, Maio 6, 2008

Um cidadão residente em Santa Leocádia de Briteiros (Guimarães) encontra-se detido em Espanha, desde 21 de Fevereiro, por suspeita de tráfico de seres humanos. A família não acredita no sucedido e reclama inocência.

Tudo terá acontecido quando, Domingos Magalhães, motorista de profissão, regressava de Marrocos onde se tinha deslocado para efectuar o transporte de uma carga para a empresa de que é funcionário. Ao que relata a sua esposa, depois da inspecção alfandegária em Marrocos, onde nada de anormal se verificou (selagem/lacragem de portas e scanner), o camião foi escoltado pela polícia local até ao embarque para Espanha. Em novo controlo alfandegário, no lado espanhol, em Algeciras, apesar dos lacres e selagem das portas estarem intactos, foram descobertos no interior do camião, junto à carga, dois imigrantes ilegais.

Domingos Magalhães, segundo relata a sua esposa, recebeu imediatamente ordem de detenção e permaneceu em cativeiro, sem ser alimentado e medicado, durante 48 horas. A família, que já estranhava o facto de Domingos Magalhães não atender os sucessivos telefonemas, só foi informada do sucedido a 23 de Fevereiro, por intermédio do próprio, a quem foi concedida a possibilidade de realizar um chamada telefónica. Nesse telefonema comunicou à família o sucedido e referiu não entender o que se estaria a passar.

Esta situação está a levar a família ao desespero. Esposa e quatro filhos, entre os quais um bebé de oito meses, não se conformam com o sucedido e desdobram-se em contactos para resolver aquilo que acreditam não passar de um mal entendido e “do desespero dos imigrantes que tentam a todo o custo entrar no continente europeu prejudicando a vida, honra, dignidade e o respeito de quem trabalha”.

Já houve contactos com o Consulado de Sevilha e os próprios familiares já se deslocaram a Espanha no sentido de tentar perceber a situação. Durante o dia de ontem, foram recolhidas assinatura, na feira semanal das Taipas, para sustentar um abaixo-assinado a entregar na Assembleia da República. Com esta iniciativa, os familiares de Domingos Marques pretendem fazer chegar o seu desespero aos governantes portugueses e tentar que estes exerçam a pressão necessária junto das entidades competentes para solucionar esta questão.

Numa nota informativa sobre esta situação, Maria Cunha, esposa de Domingos Magalhães, diz que “hoje é difícil existir contacto entre o meu marido e os meus filhos. (…) Está a ser muito difícil em termos psicológicos e financeiros, aguentar isto tudo. (…) Gostaria que alguém me pudesse ajudar a devolver o pai aos meus filhos, principalmente à bebé a quem tanta falta faz o pai. Com toda esta situação até a mãe estão a roubar aos meus filhos”.

Texto: Manuel António Silva
Foto: Google Maps

Artigos Relacionados