Decisão correcta
Sexta-feira, Agosto 6, 2004

Assistimos há umas semanas atrás a um certo impasse de resolução política, motivada pela ida do nosso ex-Primeiro Ministro, Dr. José Manuel Durão Barroso para presidente da Comissão Europeia e a indigitação do actual Primeiro Ministro, Dr. Pedro Santana Lopes, por parte do Dr. Jorge Sampaio, Presidente da República, que numa decisão apolítica, conscientemente decidiu e muito bem em não convocar eleições antecipadas. Porque isso, na minha opinião iria prejudicar em muito a retoma que se verifica já no nosso país, Portugal mais uma vez, se o Sr. Presidente da República optasse pela teoria dos profetas da desgraça, que quanto pior, melhor e onde se incluem os partidos da oposição e alguns “ilustres” iluminados que só aparecem quando é para terem intervenções negativas, porque para construir, não é com eles, iria perder o impulso que o Euro 2004 deu à economia e ao acreditar do povo português que quando se une pela mesma causa, consegue resultados surpreendentes.
Mas, voltando à decisão do Sr. Presidente da República, há um facto que quero comentar: a demissão do Sr. Ferro Rodrigues. Demitiu-se alegando que foi uma derrota pessoal. Pois, meus caros leitores, sem querer o Dr. Ferro Rodrigues colocou a descoberto a verdadeira política de compadrio que existe no PS. Se não és um “amigo”, militante do PS, não te faço um favor. Se é “amigo” do PS tem tudo.
Ao Dr. Jorge Sampaio, eu que não votei nele e que nunca fui seu apoiante, surpreendeu-me a sua decisão isenta e patriótica.
Quanto ao Dr. Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia, tenho a dizer que sinto orgulho por ser um português a ocupar tão distinto cargo, que mostra bem o prestígio que ele tem em toda a Europa. Triste é ouvir e até ler alguns artigos daqueles que consideravam imprescindível e grande honra que Portugal tivesse um Presidente da Comissão Europeia, só que tinha que ser socialista, Dr. António Vitorino. Quando foi o Dr. Durão Barroso disseram que era um cargo sem importância e que o Primeiro Ministro estava a fugir. Mais uma vez a história dos “amigos”.
Ao Dr. Santana Lopes, tenho que lhe dizer que não defraude as expectativas, porque todas as criticas que se ouvem só demonstram o nervosismo que os seus adversários têm, porque a retoma está aí, a política do governo do Dr. Durão Barrosos está a ter os seus frutos e ele é, sem dúvida, um líder com capacidade de transmitir a confiança que os portugueses necessitam para arrancar de vez para um Portugal melhor.
Sem mais e até ao próximo número.
E viva as Taipas!