PUB
Crise na região em debate no Parlamento
Segunda-feira, Janeiro 12, 2009

Durante a manhã de hoje foi debatida no Parlamento a situação sócio-económica do distrito de Braga. Miguel Laranjeiro garantiu que o PS não está esquecido dos compromissos assumidos pelo Governo. Este debate surge um dia depois do chumbo a um projecto de resolução do CDS sobre a mesma matéria.

A situação económica e social do distrito de Braga esteve durante a manhã de hoje em discussão no Parlamento, depois de na passada sexta-feira, 9 de Janeiro, o CDS ter apresentado um projecto de resolução, que foi chumbado pelo Partido Socialista.

A proposta dos centristas baseava-se em medidas de combate ao desemprego, com o estímulo à produtividade e apoio aos desempregados. A mesma proposta justificou-se tendo em conta a realidade do desemprego e o encerramento de várias empresas que, em Guimarães, é muito superior à média nacional.

O voto contra dos deputados socialistas eleitos por Braga, no entender do CDS, significou uma lesão grave para o distrito de Braga. O Projecto de Resolução previa ainda a implementação de programas específicos de promoção do crédito bancário de apoio às empresas, assim como condições especiais de micro-crédito de auxílio às famílias.

Hoje, 12 de Janeiro, foi a vez de o PS abordar a questão da situação económica e social do distrito de Braga, com a defesa da criação do emprego e das empresas instaladas na região, sujeitas a constrangimentos estruturais e conjunturais.

O deputado Miguel Laranjeiro, fez referência às dificuldades decorrentes dos baixos níveis de formação e da dependência das indústrias de base tradicional. A crise económica internacional veio expor aquelas debilidades – defendeu o socialista eleito por Braga.

Os socialistas fizeram questão de deixar claro que os problemas dos vales do Ave e do Cávado não estão esquecidos, tendo sido feitas referências ao Projecto de Resolução sobre o Vale do Cávado e do Ave, discutido há menos de um ano no Parlamento; e à Candidatura ao Fundo Europeu de Ajustamento à Globalização.

Numa resposta à proposta do CDS, os deputados socialistas não apoiam a multiplicação de recomendações feitas pela oposição e fizeram questão de lembrar que estão, desde o início, à procura das “melhores soluções para a defesa dos interesses das populações do distrito de Braga”.

Da parte do CDS de Guimarães, surge o lamento face à posição tomada pelos socialistas, repudiando-a. Prometem apresentar um voto de protesto na próxima sessão da Assembleia Municipal de Guimarães.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados