Constantino Veiga não teve “coragem” de ir à Assembleia Municipal
Terça-feira, Outubro 9, 2012

A afirmação é de Ricardo Costa, porta-voz dos deputados da Assembleia de Freguesia de Caldelas eleitos pelo Partido Socialista.

A Assembleia Municipal de Guimarães reuniu esta Segunda-feira para, entre outros assuntos, discutir e votar a pronúncia daquele órgão municipal sobre a proposta da Câmara Municipal de Guimarães relativa à reorganização administrativa concelhia. Constantino Veiga, presidente da Junta de Caldelas, delegou no seu secretário, Manuel Ribeiro, a representação da freguesia na referida reunião. Contudo, dizem os socialistas taipenses em comunicado de imprensa, acabou por comparecer, “para lugar destinado ao público, alguns minutos após o início da Assembleia Municipal”. O grupo parlamentar do PS da Assembleia de Freguesia de Caldelas considera que “é muito grave o Senhor Presidente da Junta de Freguesia delegar a representação da freguesia de Caldelas, no Secretário, quando sobre ele não impedia qualquer impedimento. Constantino Veiga esteve presente, no Auditório da Universidade do Minho, no local destinado ao público, praticamente durante toda a sessão da Assembleia Municipal”. Diz Ricardo Costa que “apesar do alarido que criou à volta da reforma Administrativa, convocando conferências de imprensa e defendendo uma agregação por conquista das Juntas de Freguesias vizinhas das Taipas, sem ouvir os seus autarcas e desrespeitando os colegas Presidentes de Junta, o senhor Presidente da Junta de Freguesia de Caldelas, não teve coragem para vir à Assembleia Municipal de Guimarães, e apresentar a sua posição numa matéria que considerou tão importante”. As críticas continuam até à afirmação de que Constantino Veiga ”não honrou o lugar para o qual foi eleito e a confiança que os eleitores depositaram nele. Os Taipenses e a Vila das Taipas foram desrespeitados.” Sugerem, por isso, que o presidente da Junta de Caldelas deve “ele sim, um pedido de desculpa”.

Artigos Relacionados