PUB
Constantino Veiga apoiará projecto
Quinta-feira, Maio 4, 2006

Actualização com as declarações de Constantino Veiga ao Reflexo.
Estudo prevê a ligação entre Braga e Guimarães por caminho-de-ferro com uma passagem pelas Taipas.

O presidente da Junta de Freguesia de Caldelas, Constantino Veiga, ouvido pelo Reflexo, declarou que já tinha conhecimento do andamento deste ante-projecto: “soube, através da comunicação social, que o presidente da Câmara tinha no seu plano a elaboração desse projecto, que consistia na implementação de uma ligação ferroviária. Depois tive a confirmação pelas notícias recentes que têm sido publicadas”.

O presidente não conhece, contudo, o conteúdo do documento, embora saiba que o traçado da ligação deverá passar próximo do AvePark, onde será instalada uma interface multimodal, que servirá a freguesia de Caldelas e todas as outras vizinhas. Confessa, no entanto, que não tem conhecimento formal do conteúdo do ante-projecto: “Não tenho conhecimento do ante-projecto, mas já me foi falado. O traçado estará já a ser considerado no novo Plano Director Municipal”.

Constantino Veiga considera que é uma obra que já deveria estar mais adiantada, já que faz todo o sentido de existir: “penso que é sensato apostar no caminho-de-ferro, numa altura em que se fala cada vez mais em novas soluções de transporte e em utilização de energias limpas – os combustíveis estão cada vez mais caros e é urgente pensar em alternativas, mesmo em termos ambientais”.

O projecto deveria, adianta ainda o presidente da junta, considerar ligações a outras linhas já existentes e servir pólos urbanos como Caldas das Taipas e Póvoa de Lanhoso: “haverá ainda que prever as ligações com outros sistemas de transporte e sistemas viários” – conclui o autarca.

Em termos de mais-valias para o desenvolvimento da região, Constantino Veiga entende que a ligação deverá ser uma prioridade, depois da ligação à auto-estrada ter sido excluída: “É necessária uma ligação rápida que ligue Braga a Guimarães. A aposta no caminho-de-ferro é sinónimo de aumento da qualidade de vida das pessoas. Basta ver noutros países europeus, ou mesmo no caso recente do Metro do Porto, em que as pessoas utilizam cada vez mais este tipo de transportes”.

O responsável pela autarquia taipense é peremptório ao defender o projecto: “defenderei o projecto, porque me parece que é viável e que faz todo sentido – o caminho-de-ferro é mais económico e permitirá fomentar uma nova mentalidade em termos de mobilidade. Parece-me que esta ideia corresponde a um crescente grau de exigência que as populações vão tendo, sendo para além disso, um projecto sustentável uma vez que pensa nas gerações futuras. Portanto, estarei aqui para apoiar o projecto”.

Ante-projecto estuda ligação ferroviária que poderá ligar Taipas a Braga e a Guimarães
A questão da ligação de Guimarães a Braga por via férrea não é nova. Nos últimos dias têm sido noticiados alguns desenvolvimentos, que dão conta de um estudo, elaborado pela Câmara Municipal de Guimarães, para a construção de um caminho-de-ferro entre as duas cidades. Este estudo prevê, segundo noticiado pelo guimaraesdigital.com, a passagem pela vila das Taipas. A infra-estrutura terá ainda uma ligação à linha de alta velocidade, que ligará o Porto à região espanhola da Galiza.

Esta ligação tem sido através do tempo defendida por diversos agentes. Agostinho Lopes, deputado pelo Partido Comunista Português, eleito por Braga, tem defendido o carácter urgente deste projecto e a sua elevada necessidade como apoio ao desenvolvimento de toda a região.

Casimiro Silva, co-autor do livro Memórias do Comboio de Guimarães, descreve que o processo remonta já a 1871, altura em que uma ideia de concessão de uma linha que passava pelas Taipas foi abandonada. Um outro projecto, da responsabilidade de Vasconcellos e Sá previa também a ligação de Guimarães a Braga com passagem pelas Taipas.

Numa entrevista concedida em 2002 ao jornal Reflexo Luís Cirilo, então Governador Civil de Braga, considerava importante a aposta que se estava na altura a fazer em termos de investimento no caminho-de-ferro, com a renovação de várias linhas. O ex-governador civil referia ainda que a ligação entre as duas cidades fazia todo o sentido e que teria de existir uma estação nas Taipas.

Artigos Relacionados