PUB
Concertos arrancam no Barco Rock Fest. Reportagem dos primeiros dias do festival
Sexta-feira, Agosto 7, 2015

Primeira noite de concertos no recinto do festival de Barco. Os First Breath After Coma, de Leira, foram chamados de última hora para fechar a noite. Concertos continuam esta sexta e sábado.

Arrancaram os concertos no Barco Rock Fest. Uma noite marcada pela “prata da casa” com actuações dos Camel Toy e dos The Wild Booze. Aos primeiros coube a tarefa, sempre ingrata, de chamar o público para perto do palco, enquanto libertavam a sua sonoridade sónica lânguida, mas envolvente.

Aos The Wild Booze assistiu a maior concentração de público frente ao palco. A banda apresentou-se ao nível de uma banda que se habituou não temer grandes palcos, mostrando-se fiel a si própria, marcada pelas influências brit-pop dos idos 1990s, mas a mostrarem também que procuram novos trilhos para pisar, principalmente nas suas novas composições. É vê-los agora em Paredes de Coura, no palco instalado na vila do alto Minho.

De Braga para Barco vieram os The White Knights, numa toada rock mais agressiva, a fazer lembrar bandas de outras bandas, como os Iceage ou Veronica Falls. A contrastar, apontamentos de guitarra melódicos e planantes. O vocalista, irrequieto, não coube no imenso palco do Barco Rock Fest. Saltou para a plateia e convidou o público a participar na performance.

Os concertos terminaram com os First Breath After Coma, que vieram substituir os Plus Ultra, que cancelaram o concerto na véspera devido ao um acidente sofrido pelo seu baterista. Poderão ter sido vários os motivos que poderão explicar a dispersão do público – talvez o frio; talvez a expectativa de ouvir outra banda, que não aquela.

Independentemente do público que assistia ao concerto, o colectivo de Leiria aguentou-se sem se deixar afectar, mostrando o muito elogiado disco de 2013 – The Misadventures of Anthony Knivet. Como extra tocaram ainda uma versão de “Wait” dos franceses M83. A banda merecia mais atenção, mas não havia quem a pedisse e os de Leiria saíram do palco, sem mais voltar. Não houve tampouco quem pedisse o regresso para o habitual encore.

A terminar o programa de quinta em Barco, Le Gabiru fez o corolário desta primeira noite do Barco Rock Fest, com um DJ set marcadamente rock ‘n’ roll a etiqueta indisfarçável de quem, volta meia, aparece em parelha com Les Dirty Two.

A meia-lua subia por detrás do palco, à medida que o movimento do recinto se tornava cada vez mais diminuto, até se extinguir completamente. A agitação voltará com certeza nos próximos dois dias e, espera-se, com mais púbico. O Parque Fluvial de Barco voltou à sua aparente calma natural, enquanto nos bastidores se preparava já o dia seguinte.

Esta foi a primeira noite no recinto do Barco Rock Fest. Mas o festival começara na noite anterior, subindo até à aldeia de Barco, onde a MAT Brass Banda dava as boas vindas a quem chegava, ao mesmo tempo que fazia das gentes Barco parte indissociável do festival que por ali se faz desde 2006. A prestação da MAT Brass Band repetir-se-á sexta-feira, abrindo o palco para a noite que terá ainda White Haus, Da Chick, Paragaii e ainda o DJ set de Xinobi.