Comissão Provisória de gestão por um ano
Terça-feira, Agosto 2, 2005

Terminado o período de 3 anos para o qual foram eleitos, os elementos do Conselho Executivo cessante da Escola Secundária das Taipas entenderam não se candidatar a novo mandato.

No período reservado à apresentação de listas candidatas, nenhuns outros docentes apresentaram candidatura o que conduziu a que não se tivesse realizado a respectiva eleição do principal órgão de gestão da escola.
Comunicado tal facto ao CAE de Braga, que por sua vez terá informado a DREN, o problema foi resolvido com a nomeação, por parte desta última, dos mesmos elementos que integravam o anterior órgão executivo, por um período de um ano. Assim, da nova Comissão Provisória (nomenclatura utilizada nestas situações pontuais), fazem parte José Augusto Araújo (presidente), Lídia Santos e Gabriel Machado (vice-presidentes).
Segundo José Augusto Araújo, o não se terem candidatado a novo mandato prende-se com o facto de se “avizinharem grandes alterações em todo o enquadramento do funcionamento das escolas. Sem se conhecerem essas medidas, entendemos não estarem reunidas condições para assumirmos um novo período de gestão durante 3 anos. No decurso do próximo ano, teremos oportunidade de aferir se a coisas tomarão, ou não, um rumo que se enquadre naquilo que entendemos ser a nossa forma de encarar a gestão de uma escola”.

Manuel António Silva
mas@reflexodigital.com

Artigos Relacionados