PUB
Comemorações do 175º aniversário
Sexta-feira, Outubro 9, 2009

A data da criação remonta ao ano de 1834. Nessa altura, um grupo de jovens músicos criou uma “Philarmónica”. Desde então, até ao dias de hoje, passaram 175 anos em que de uma forma ininterrupta a Banda Musical de Caldas das Taipas se afirmou no meio musical do género.

As comemorações tiveram início no dia 4 de Outubro, onde se procedeu à habitual romagem ao cemitério e foi prestada homenagem aos músicos e directores já falecidos. Às 10 horas do mesmo dia, na Igreja Matriz, teve lugar a celebração eucarística comemorativa do aniversário e, de seguida, a Banda Musical das Taipas proporcionou um concerto musical realizado no Coreto do Jardim Público.

O dia grande destas comemorações decorreu no feriado do 99º aniversário da proclamação da República.

Na parte da manhã, as bandas musicais convidadas (Banda dos Bombeiros Voluntários de Esposende; a Banda Alvarense – Águeda; a Sociedade Musical de Arcos de Valdevez e a Associação Musical de Freamunde) desfilaram no centro da vila. A banda anfitriã encerrou este desfile. A todas foi posta no respectivo porta-estandarte uma faixa alusiva à participação no 175º aniversário da banda em festa.
A sessão solene estava marcada para o salão nobre dos bombeiros da vila de Caldas das Taipas.

Fernando Matos, presidente da direcção, visivelmente emocionado, no seu discurso relembrou os antigos maestros que foram dando vida e marcando a história da banda musical, “esse passado dá a força que hoje nos anima”. Virando-se para esse presente, Fernando Matos agradeceu a todos os que têm colaborado e foi destacando o papel dos seus mais directos colaboradores caso de José de Freitas, António Cunha e Henrique Azevedo, sem esquecer a forma como o actual director artístico vem desempenhando as suas funções.

Coube a José de Freitas, vice-presidente da direcção, prestar homenagem a Fernando Matos pelos mais de 50 anos ao serviço da Banda Musical. Fernando Matos foi músico chegando a tocar vários instrumentos (flauta, requinta, clarinete e saxofone soprano). Em 1987, devido ao falecimento de seu irmão e maestro Ilídio Lopes de Matos, viria a assumir a direcção artística. Passados onze anos, em 1998, foi substituído nessa função pelo seu filho e actual director artístico, Paulo Matos. Desde essa altura, foi eleito como presidente da direcção desta agremiação musical.

A Banda de Música de Caldas das Taipas também não esqueceu os músicos que pela sua dedicação e presença constante marcam a sua vida. Assim, foram homenageados cinco músicos que completaram 25 anos de serviço nesta associação musical. José Matos, Flávio Marques, José Martinho, Augusto Pires da Cal e Ezequiel Rodrigues Ferreira foram os músicos deste justo reconhecimento público.
Esta sessão solene foi palco ainda de uma homenagem que a Federação Regional de Banda do Minho, a comemorar o seu 10º aniversário, prestou ao compositor Valdemar Sequeira, actual maestro da Banda dos Bombeiros Voluntários de Esposende.

A parte final foi reservada aos discursos das diversas personalidades presentes. O presidente de Junta de Caldelas, Constantino veiga, enalteceu o forte espírito de família que se vive na Banda e destacou a forte e saudável aposta na formação de jovens músicos. António Magalhães, presidente da Câmara Municipal, relembrou o período áureo que as bandas musicais já viveram “presença obrigatória nas principais festas ou comemorações” e que, nos tempos de hoje, sobreviveram e se destacam as que se souberam adaptar aos novos tempos, “O aparecimento de escolas de formação, como a que existe nas Taipas, é um exemplo dessa adaptação”. António Magalhães salientou o facto de o concelho ter duas bandas e que tal obriga a Câmara “independentemente de quem estiver no poder”, a incentivar e ajudar a banda de Pevidém e de Caldas das Taipas.

O presidente da Assembleia-geral da banda anfitriã, João Batista, deu por encerrada a sessão e convidou todos os presentes a assistir ao Festival de Bandas que se viria a realizar durante a parte da tarde deste dia 5 de Outubro.
Este festival decorreu em frente à Igreja Matriz, a partir das 15 horas e se não tivesse aparecido a chuva, tudo teria sido excelente.

Veja as fotos.

Artigos Relacionados