PUB
Coligação Juntos por Guimarães quer Câmara a repensar a solução apresentada para a ligação viária de Guimarães às Taipas.
Quinta-feira, Setembro 11, 2014

Numa conferência promovida esta manhã, nas Taipas, os vereadores da oposição apelaram às populações locais para se envolverem na discussão deste assunto.

Uma conferência de imprensa promovida pela Coligação Juntos por Guimarães, ao final da manhã de hoje, nas instalações da Junta de Freguesia de Caldelas, trouxe novamente a terreno a questão da ligação viária de Guimarães à vila das Taipas.

André Coelho Lima, vereador do PSD, lançou um apelo a Domingos Bragança no sentido deste repensar a posição da Câmara e, ao mesmo tempo, lançou o repto às populações envolvidas para que participem na discussão do assunto. Para Coelho Lima, a avançar a proposta que a Câmara apresentou em abril último, nas Taipas, colocará a coesão territorial do concelho em causa e as populações locais são quem mais perderá com isso.

Como é já do conhecimento público, as posições sobre o assunto entre Câmara de Guimarães e a Coligação Juntos por Guimarães não são coincidentes. A primeira defende a construção de um novo traçado de ligação exclusiva ao Avepark, que não passa pelas Taipas, com um custo estimado de 25 a 30 milhões de euros e, os segundos, defendem um alargamento e melhoramento da estrada existente (N101) até às Taipas, ao que acrescentaram agora a criação de uma bifurcação, em Ponte, para uma ligação ao Parque de Ciência e Tecnologia que rondaria custos na ordem dos 11 milhões de euros.

A Coligação Juntos por Guimarães considera esta, a mais importante proposta do atual mandato autárquico, defendendo que o traçado que apresentaram é o que melhor defende os interesses da população e de coesão territorial concelhia.

Para André Coelho Lima, a solução apresentada pela Câmara é um “crime ambiental”, porque rasga zonas de reserva ecológica e agrícola e porque cria no futuro potenciais frentes de construção em zonas que são hoje reserva agrícola e ecológica e um “crime económico” tendo em conta os 25/30 milhões de euros estimados para a sua implementação comparativamente com os cerca de 11 milhões que acarretaria a proposta da Coligação Juntos por Guimarães.

“Será a estocada final na coesão territorial do nosso concelho. A população das Taipas, a população da zona envolvente às Taipas, não compreenderá, que o município de Guimarães, ou o estado português, gaste milhões de euros para construir uma estrada e as pessoas de Guimarães continuam a demorar 20 ou 30 minutos para vir às Taipas e vice versa”, disse a propósito.

Monteiro de Castro, vereador do CDS-PP, não compreende como há quem veja esta situação de forma diferente e caso a solução apresentada pela Coligação não venha a ser executada, afirmou tratar-se de “um pecado de lesa pátria”.

Artigos Relacionados