PUB
Casos de Estudo
Segunda-feira, Janeiro 7, 2008

Na entrada para o ano 2008 proponho o estudo de uma matéria que se revela num autêntico caso, cujo segredo continua por desvendar. Dois clubes da mesma região geográfica, dois clubes de dimensão ampla no futebol nacional, dois clubes de duas cidades catalizadoras de recursos humanos e industriais, dois clubes que figuram no topo do escalão maior do futebol nacional.

Vitória de Guimarães e Sporting de Braga. O que vai distinguindo o “vermelho” do “branco” são as massas associativas. Sem colocar em causa o “fervor” e a “paixão” de cada um, é por demais evidente que os “vitorianos” não olham a meios na perseguição ao clube do coração, quer seja na I ou II Divisão. Quer seja nos maus ou bons momentos. Os números de assistência nos jogos do Vitória (mesmo quando passou pela II Liga) não deixam margem para dúvidas.

E em Braga? Também há paixão, também há público. Mas a lotação do Estádio Municipal de Braga está bem longe daquilo que são as reais pretensões dos seus responsáveis. E António Salvador tem razão quando adverte que 8 mil espectadores num jogo entre Braga e Bayern de Munique (ou Estrela Vermelha) a contar para a Taça UEFA é muito pouco. Mas porque razão não se vê mais gente no Estádio de Braga… Será por causa do desconforto do novo Estádio?

“É frio e pouco funcional”, queixam-se alguns adeptos. “Não tem boas acessibilidades, sendo necessário deixar o carro estacionado a uma longa distância”, dizem outros. E também não tem a tradição do velhinho 1.º de Maio! Veja-se o exemplo de um adepto bracarense a residir em Caldas das Taipas, é obrigado a passar pela circular interna de Braga — passando de ponta a ponta pela cidade — deixar o carro estacionado, pelo menos, a um/dois quilómetros de distância do Estádio. Ah, e ainda tem de percorrer alguns degraus para o acesso à bancada. Nada comparado como quando assistia aos jogos no 1.º de Maio. Pode ser esta uma das razões para tal divórcio, até porque a equipa do Braga apresenta resultados animadores e tem uma das melhores equipas de sempre…

Em Guimarães, os adeptos não têm problemas em acorrer ao Estádio D. Afonso Henriques. É uma autêntica febre! Mas tanto num, como noutro caso, penso que são dois casos de estudo.

26