Candidato do BE esteve nas Taipas e apontou responsabilidades ao Ministro do Ambiente
Segunda-feira, Setembro 21, 2015

Pedro Soares acusou o Ministro do Ambiente de nada fazer para que o Rio Ave deixe de ser um curso de água poluído. Manifestou-se contra a privatização do sector do abastecimento de água.

O cabeça de lista por Braga do Bloco de Esquerda, Pedro Soares, esteve domingo, 20 de Setembro, no parque das Caldas das Taipas, num piquenique organizado pela candidatura e onde tomou contacto com populares que utilizavam aquele espaço.

O tema da sua intervenção centrou-se no Rio Ave e no processo da sua despoluição, que tem levado a várias tomadas de posição nos últimos tempos, devido às descargas prevenientes de um afluente do rio em Gondomar. Pedro Soares apontou as responsabilidades ao actual Ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, a atribui imacção neste processo.

O líder da candidatura do distrito de Braga pelo Bloco de Esquerda, lembrou que o início do processo de despoluição deste rio remonta a várias décadas atrás e que nele já foram gastos milhões de euros.

Na opinião de Pedro Soares continuam a faltar mecanismos de fiscalização e formas de punição que sirvam para sensibilizar os infratores – “não há punição dos infratores, havendo uma continuidade no desleixo e negligência relativamente à Bacia Hidrográfica do Ave”, concluiu.

O Bloco de Esquerda reclama a execução do compromisso do estado português na gestão sustentável das bacias hidrográficas, de acordo com as directivas europeias. Segundo o candidato, um dos compromissos do Bloco de Esquerda será lutar pela despoluição dos vários cursos de água que compõem a bacia hidrográfica do Ave – “o governo vai falhar estes objetivos, tanto a lei como da própria diretiva quadro da água”, frisa Pedro Soares.

O Bloco de Esquerda manifestou-se ainda contra a medida de uniformização das tarifas do abastecimento de água, anunciada por Jorge Moreira da Silva. No entender de Pedro Soares o Governo prepara-se para a privatização da Águas de Portugal – para o candidato a água “é um recurso natural que deverá ser de acesso universal, público e com qualidade”.