PUB
Campos de Treinos do Taipas são propriedade da Câmara de Guimarães
Sexta-feira, Julho 1, 2011

A informação foi prestada por Fernando Oliveira, presidente da Comissão Directiva do Taipas, durante a Assembleia Geral de ontem.

Durante a leitura do Relatório de Actividades do Clube, na parte referente ao “Complexo Desportivo/Infra-estrutura”, Fernando Oliveira deu conta do protocolo celebrado com a Câmara Municipal de Guimarães, em Janeiro último, que se traduz na atribuição de um subsídio de 200 mil euros para a colocação de um relvado sintético no campo de jogos nº 2 (pelado).

De seguida, informou os associados que, decorrente da elaboração e instrução do processo do referido Contrato-Programa assinado com a edilidade vimaranense, a Comissão Directiva “apurou que a parcela de terreno onde se situam os campos nºs 2 e 3 (pelados) é propriedade da Câmara Municipal de Guimarães desde 1998, não sendo o Clube, ao contrário do que se comunicava de Direcção para Direcção desde a sua construção”.

À semelhança da Comissão Directiva, que referiu ter ficado surpreendida aquando da tomada de conhecimento de tal situação, também os associados presentes na reunião, após a informação prestada, demonstraram a sua perplexidade relativamente ao assunto. Armando Marques, dirigente do Clube nessa altura (1998) e que estava presente na sala, pediu mesmo a palavra para se manifestar incrédulo em relação ao que acabava de ouvir pela boca de Fernando Oliveira. O ex-dirigente disse mesmo sentir-se “enganado” e “atraiçoado”, falando da existência de actas no Clube que dão conta da propriedade desses terrenos.

Ainda sobre este assunto e no Relatório de Actividades atrás referido, a Comissão Directiva reforça a ideia que passava de Direcção em Direcção, relativamente à propriedade do espaço em causa ser do Clube, salientando que ao longo de todos estes anos “todas as obras ali efectuadas inerentes à construção e manutenção de um campo de futebol 11 e outro de 7, inclusive a sua terraplanagem, muro de suporte de terras e vedações dos respectivos campos, foram todas efectuadas e pagas pelo Clube Caçadores das Taipas”.

João Baptista Ribeiro, para refrear os ânimos e colocar alguma água na fervura, deixou no ar a possibilidade da marcação de uma Assembleia Geral Extraordinária para tratar especificamente deste assunto, o que foi acatado pelos presentes.