PUB
Câmara Municipal de Guimarães entrega à TecMinho o projeto de “requalificação da área central da vila das Taipas”
Quinta-feira, Julho 23, 2015

O executivo vimaranense aprovou por maioria a entrega do projeto de requalificação do centro das Taipas, num valor de 300 mil euros. Trata-se da mesma equipa responsável pela requalificação do Toural e da Alameda de S. Dâmaso.

O executivo vimaranense, na reunião de 23 de julho, aprovou por maioria a entrega, por ajuste direto, à TecMinho- Associação Universidade – Empresa para o Desenvolvimento o projeto de requalificação do centro cívico das Taipas, num valor de 300 mil euros.

A Câmara Municipal entende que só a Tec-Minho tem, neste momento, a capacidade de resposta ao que se pretende levar a cabo na vila termal, pois, como é referido, os serviços a contratar requerem uma equipa “com capacidade crítica, com conhecimentos da realidade local e com capacidades, nomeadamente, nas áreas de arquitetura, engenharia civil, engenharia mecânica, engenharia eletrotécnica, engenharia hidráulica e acústica”.

Amadeu Portilha, em substituição do presidente da Câmara, afirmou que se pretende conferir à centralidade de Caldas das Taipas a mesma importância que se deu à centralidade da cidade, recordando declarações do próprio Domingos Bragança, quando este defendeu uma intervenção de qualidade para o centro cívico da vila e áreas envolventes, “a prova inequívoca dessas afirmações é que vamos ter a mesma equipa que tratou, com muito sucesso como foi reconhecido em termos nacionais e internacionais, da requalificação do centro da cidade no período da CEC 2012, vai agora tratar da requalificação do centro das Taipas.

Recorde-se que a equipa é liderada pela arquiteta Maria Manuel Oliveira que foi ontem eleita presidente da Escola de Arquitetura da UM, precisamente na véspera desta reunião camarária.

André Coelho Lima, da coligação Juntos Por Guimarães defendeu o voto favorável a esta proposta por considerar que levar para o centro das Taipas a mesma equipa que requalificou o Toural e a Alameda S. Dâmaso é um bom princípio e um sinal que se pretende desencadear uma intervenção “coerente”, que a Avenida da República há muito justifica.

Esta proposta não viria a recolher a unanimidade dos vereadores, pois Torcato Ribeiro viria a votar contra. No final fez questão de frisar que não estava “naturalmente contra a necessidade de requalificação do centro da vila de Caldas das Taipas, mas contra o processo de entrega por ajuste direto a uma entidade”.

Esta notícia será desenvolvida na próxima edição do jornal Reflexo, nas bancas na próxima semana.