Câmara Municipal apresenta candidatura de Couros a Património da Humanidade
Sexta-feira, Outubro 16, 2015

Município pretende alargar a área classificada como Património Mundial da Humanidade. Proposta já foi entregue na Comissão Nacional da UNESCO.

A Reunião do Executivo Municipal desta quinta-feira começou com a apresentação da proposta de inscrição da zona de Couros na lista indicativa da UNESCO. A equipa liderada pela arquitecta Alexandra Gesta apresentou à UNESCO uma proposta de alargamento da área qualificada como Património Mundial. A ser bem-sucedida, a área de protecção na cidade torna-se cinco vezes maior, pois a zona tampão a classificar vai do topo da montanha da Penha, onde nasce a ribeira de Couros, à Veiga de Creixomil, foz dos cursos de água.

A proposta do Município acrescenta os 24,10 hectares da zona de Couros aos 19,45 hectares do Centro Histórico, perfazendo assim um total de 43,55 hectares. Com este alargamento, a zona protegida aumenta dos actuais 102,50 hectares para 581,66 hectares, ou seja, amplia-se em cinco vezes a área actualmente protegida.

Domingos Bragança, presidente da Câmara, refere que “a zona de protecção que inclui a Igreja da Penha à Veiga de Creixomil constitui um contributo importante para sustentar a candidatura a Capital Verde Europeia” e que a classificação da área em causa “permitirá realizar a descompressão do Centro Histórico, fazendo com que outros locais de Guimarães sejam também visitados”.

Do lado da oposição, o vereador do PSD André Coelho Lima congratula a Câmara pela apresentação da candidatura, reconhecendo “créditos políticos” ao PS por esta “candidatura politicamente substantiva”. Destaca ainda que “a equipa escolhida é a ideal pela sua experiência na anterior candidatura”. José Torcato Ribeiro, vereador representante da CDU, considera positiva a candidatura que tem “criadas todas as condições para que possa ser bem-sucedida”. Refere também que se trata de uma “zona riquíssima, um autêntico museu vivo da cidade, que representa uma época de uma actividade industrial que já foi muito importante em Guimarães”.