Bol$a das Taipas
Quarta-feira, Outubro 2, 2002

BOL$A DAS TAIPAS
EM ALTA

Centro Social Pe. Manuel Joaquim de Sousa

Muito brevemente terá lugar a inauguração do Centro Social há muitos anos desejado pela população e que vem preencher uma lacuna de ordem social na Vila. Uma obra de raiz que irá ter, entre outras infra-estruturas, duas salas de ATL e três salas de pré-infância, o que vem colmatar de certa forma as necessidades dos Taipenses. Outro aspecto positivo da obra é o facto de ter ficado dentro do orçamentado, mais ou menos 500 mil euros.
Dois senãos, que não beliscam a importância da obra, mas que devem ficar registados para um dia tirarmos as devidas ilações:
1º – O “negócio” de cedências, o qual em termos práticos belisca o património da freguesia e retira poder negocial.
2º – A promiscuidade que existe com o facto do presidente da Junta ser o presidente da nova Instituição Particular de Solidariedade Social que, por seu turno, irá receber da Junta o direito de superfície.

EM BAIXA

Capela Dias

No ponto de maior interesse da ordem de trabalhos da última Assembleia de Freguesia – Cedência do Terreno denominado “Campo da Seara” à Câmara Municipal de Guimarães – o deputado Capela Dias passou ao lado desta discussão, tendo em conta que não formalizou uma opinião sobre a matéria e acabou por votar favoravelmente a proposta de cedência, entretanto alterada, conforme se pode ler num artigo publicado nesta edição do Reflexo.
Este silêncio, para um político da craveira de Capela Dias, não terá sido inocente e deixa ficar no ar a ideia que o seu voto teve um sentido político, porque votou de acordo com aquilo que o seu colega de partido, Constantino Veiga, aprovou em reunião de Junta.
Fica a questão: terá um voto político servido os interesses da freguesia?

A bancada do Partido Socialista apresentou-se renovada na última Assembleia de Freguesia visto que Mário Dias e Celeste Marques foram substituídos por Ernesto Martinho e João Pedro Ribeiro.
Ausências notadas numa Assembleia que tinha assuntos importantes a debater.
Constrangedor mesmo, foi o facto do Partido Socialista não ter apresentado uma única proposta e ter passado quase despercebida na discussão dos vários pontos da Assembleia.
Verdade seja reposta, os socialistas fizeram uma proposta, um voto de louvor para um atleta do Clube de Pesca.

Acta

Na última Assembleia de Freguesia ficou uma pergunta sem resposta. Quem facultou ao público uma cópia da proposta de Acta n.º 38, que foi fornecida aos senhores deputados pelo Presidente da Assembleia para ser objecto de discussão e aprovação, sem esta estar ainda aprovada pela Assembleia e ainda por cima para ser utilizada como arma de arremesso pelos eleitores que o fizeram por escrito ao Presidente da Mesa da Assembleia e através de intervenções no período destinado ao público.
Uma certeza ficou: alguém demonstrou total desrespeito pelo órgão de soberania que é a Assembleia de Freguesia não merecendo a confiança que os eleitores lhe depositaram.

Intermaché

Ao que parece o Intermaché prepara-se para fazer obras de ampliação do seu espaço comercial. Do projecto, entre outras coisas, consta a possibilidade do aparecimento de um posto de abastecimento e o melhoramento do parque de estacionamento que poderá receber entre 250 a 300 viaturas, segundo foi dito na última reunião de Junta de Freguesia.
Este assunto não é um dado novo, já foi objecto de apreciação por parte dos membros da Junta em anteriores reuniões, que se limitou a lamentar de alguma forma a obra nos moldes apresentados e decidiu pedir uma audiência com os técnicos da Câmara para conhecer melhor o projecto.
Na última reunião de Junta, Remísio de Castro afirmou que está à espera que apareça a placa de licenciamento para repudiar junto da Câmara o facto de o projecto ter avançado sem a Junta ter sido auscultada através da tal reunião solicitada.
A que se deve essa atitude tão passiva da Junta sobre um ponto que vai alterar substancialmente o ordenamento urbanístico da zona e revolucionar o fluxo de trânsito automóvel.
Já calcularam o número de veículos automóveis que vão por ali transitar tendo em conta um aparcamento para cerca de 300 automóveis!
Não falando da possibilidade, eu diria realidade, de existir um novo posto de abastecimento rodeado de habitações e com uma escola primária a escassos metros.
Porquê esta passividade da Junta relativamente a este assunto?

Bol$a das Taipas
Segunda-feira, Agosto 5, 2002

As obras do futuro pavilhão do CART já recomeçaram em fins de Junho, é uma passo fundamental para o desenvolvimento da actividade desportiva da colectividade. A situação actual, treinar e jogar em “casa alugada”, não serve as necessidades do CART em termos desportivos e financeiros. Desta vez com o compromisso pessoal e público do presidente da Câmara Municipal de Guimarães concerteza este pavilhão não ficara a meio.
Festas da Vila e S. Pedro

Tendo em conta os receios e o curto espaço de tempo para a organização, a cargo do Clube Caçadores das Taipas, programar o evento, poderá dizer-se que estas festas foram positivas. Teve algumas alterações na localização de alguns dos espectáculos, o que por si só trouxe outra dinâmica às festas. A questão da não proibição do transito auto-móvel durante às festas terá sido uma das falhas por parte da organização.

Eduarda Marques

Quando se faz parte da galeria de nomes como Eurico de Melo, na vida partidária do Partido Social Democrático, ou seja, ser a segunda vimaranense da concelhia de Guimarães a fazer parte da Comissão Politica Nacional do P.S.D., Eduarda Marques tem todas as condições para outros voos dentro e fora do partido. Esta nomeação tem ainda outra relevância pelo facto de ter sido um convite pessoal, segunda a própria, de Durão Barroso

EM BAIXA

Parque de Ciência e tecnologia

Só a incompetência e irresponsabilidade dos responsáveis, gestores públicos e governantes, pelo projecto do Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) podem explicar estes dez anos de marasmo que o projecto sofreu. Mais grave ainda é constatar que ao fim destes anos todos estamos continuamos sem saber o que dali poderá nascer.

Bol$a das Taipas
Terça-feira, Julho 2, 2002

Herdmar
Nas comemorações do 24 de Junho, a Câmara Municipal de Guimarães procedeu à entrega da Medalha de Mérito Industrial em ouro à Herdmar – Manuel Marques, Herdeiros, S.A.. Uma bonita prenda no ano em que esta empresa, sita nas Taipas, comemorou 90 anos de existência. Esta distinção é o reconhecimento do crescimento e desenvolvimento desta empresa de cutelarias, conhecida mundialmente, visto que grande parte da sua produção é destinada para a exportação que a empresa efectua para todos os continentes.
Depois da distinção de José Ribeiro em 1989 e da Cutipol em 1994, esta nova condecoração a uma empresa de cutelarias das Taipas deveria impulsionar definitivamente (tirando também partido da nomeação de Guimarães como Património Cultural da Humanidade) um movimento institucional e civil na divulgação, a nível mundial, de Caldas das Taipas como a Capital das Cutelarias.

EM BAIXA

Armando Abreu
Na última reunião de Junta foi abordado o assunto do pólo das Taipas do Parque de Ciência e Tecnologia. Nesta matéria, Armando Abreu quis alimentar a especulação (???) sobre o assunto ao dizer que “segundo o que li nos jornais … já se foi”. Não nos parece que um Adjunto do Governador Civil precise de ler os jornais para ficar informado sobre uma matéria de tão grande importância para o distrito e mais concretamente para Taipas. Não é este o papel que se espera do secretário da Junta de Freguesia e do Adjunto do Governador Civil. Seria de todo importante informar bem os Taipenses sobre quem tem efectivamente as responsabilidades dos recuos da implantação do Parque de Ciência e Tecnologia de Caldas das Taipas.

Remísio Castro
Continua a ser um “agente passivo” no que toca às relações institucionais com a Câmara Municipal de Guimarães. Foi notória a forma como quis branquear o desinteresse da C.M.G. em relação às Taipas, quando Armando Abreu teceu fortes críticas à edilidade vimaranense na última reunião de Junta. Com certeza que toda a gente perceberá as intenções políticas do secretário, mas começa a ser patético querer defender a actuação da Câmara em relação às Taipas com a promessa de que vão finalizar obras importantes, como a mudança da feira e da variante. Por quantos anos mais teremos de ouvir estas justificações?

Biblioteca das Taipas
A Câmara Municipal de Guimarães terá notificado a Junta de Freguesia, segundo Remísio de Castro, que em Agosto a biblioteca das Taipas estará encerrada. A justificação será a de que o funcionário destacado para esta extensão estará de férias. Efectivamente a política sócio-cultural da C.M.G vai pela rua da amargura. Não nos importaríamos que retirassem um pouco do milhão de contos que a Câmara vai investir(?) nas Taipas para ter a biblioteca aberta em Agosto.

Emílio da Silva Macedo
Explorou a paixão dos Sandinenses pelo futebol, ao fazer a promessa da construção de um campo de futebol, nas eleições autárquicas, que o elegeram pela primeira vez presidente da Junta de Freguesia de Sande. Depois foi um dos principais mentores, conjuntamente com João Elísio, no nascimento de “Os Sandinenses” somando, meritória e inquestionavelmente, vários sucessos nestes 16 anos de existência do clube. Só que em todo estes anos “educou-se um filho” a gastar o que não tem, no entanto, era preciso mostrar serviço e havia disponibilidade financeira para tal. Agora diz-se cansado para o Sandinenses e disponível para o Vitória de Guimarães, como há bem pouco tempo, passou de presidente da Junta de Freguesia de Sande, pelo PSD, a apoiante de uma lista do Partido Socialista, pela mesma freguesia. Acaba por querer sair deixando o clube na III Divisão Nacional e num vazio directivo, no entanto numa ultima reunião magna do Clube aceitou continuar. Onde irão dar tantos ziguezagues?

José Henrique Cunha (cunha.rfx@mail.telepac.pt)

BOL$A DAS TAIPAS
Domingo, Junho 2, 2002

EM ALTA

Padre João Felgueiras
Em Julho de 2000, a Associação e Jornal Reflexo, aproveitando a estadia na nossa vila, do Missionário Taipense procedeu à entrega de uma lembrança, de forma a assinalar a sua nomeação como Personalidade do Século XX, para área da Sociedade/Solidariedade.

Nessa mesma altura, o Jornal Reflexo divulgou uma entrevista com o Padre João Felgueiras, na qual relatava muito dos episódios horríveis que se passaram em Timor. De entre muitas das suas “confissões”, teve uma afirmação que simboliza o seu carinho pelas Taipas, terra que o viu partir para Timor há cerca de 31 anos atrás: “…Procurei, no melhor que pude, representar o povo, a igreja e os cristãos das Taipas.”.
No passado dia 19 de Maio, o Padre João Felgueiras foi condecorado em Timor pelo Presidente da República, Jorge Sampaio – um reconhecimento nacional, pelo mais alto representante de Portugal, à sua dedicação, solidariedade para com o povo Timorense.
A vila das Taipas está orgulhosa do seu conterrâneo!

Banda de Música
Com 167 anos de existência, a Banda de Música das Taipas viu-lhe reconhecido o seu desempenho, com a atribuição da Carta de Utilidade Pública que consiste exactamente no reconhecimento público de serviço prestado por esta colectividade. Espera-se que este seja um “trampolim” para que possa resolver alguns dos seus problemas. Ainda este ano vai ter a inauguração da sua sede. Um ano em pleno. Parabéns!

Armando Abreu
Muitos certamente o considerarão um “pára-quedista”. Residente nesta vila há poucos anos, diz-se defensor dos problemas das Taipas”, mas efectivamente conseguiu o que poucos Taipenses de gema conseguiram.
Em meio ano consegue ser eleito para a Junta de Freguesia, ocupando o cargo de secretário e acabou, recentemente, por ser nomeado Adjunto do Governador Civil de Braga. Esperamos que utilize os seus poderes, não para privilegiar as Taipas, mas sim para defender e ajudar a resolver os seus problemas.

EM BAIXA

População das Taipas
A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas e a Associação Reflexo têm levado a cabo, nestes últimos anos, o “Maio Cultural”. Foi desolador ver o número, muito reduzido, de Taipenses que compareceram aos espectáculos realizados, durante o mês de Maio, no auditório dos Bombeiros. Aliás, esta postura da população das Taipas é frequente, também tem primado pela ausência em espectáculos organizados por outras colectividades, nomeadamente o CART, e outros espectáculos patrocinados pela Câmara Municipal de Guimarães.
Com um pouco mais de participação nas actividades sócio-culturais da vila e por ventura menos crítica de café, com certeza que a nossa Vila teria mais a ganhar.

Festivais Gil Vicente
A Câmara Municipal de Guimarães não vai realizar este ano um único espectáculo dos Festivais de Gil Vicente na nossa vila. É certo que em anos anteriores a afluência dos Taipenses aos espectáculos, aqui realizados, foi fraca, mas não é esta, com certeza, a melhor terapia para se combater o afastamento da população a estes espectáculos.
É preciso tomar medidas que vão ao encontro das populações. Agora ninguém percebe a estratégia seguida pela Câmara Municipal.

Constantino Veiga
Na reunião de Junta realizada em 8 de Maio, toda a gente terá ficado estupefacta quando Constantino Veiga saiu em defesa do presidente da Junta de Freguesia. Criticou a postura do Jornal Reflexo, por este ter editado, na primeira página, da sua edição de Abril (n.º 70) o título “DEMITO-ME”, afirmação de Remísio de Castro, sobre a possibilidade de as Taipas vir a ter uma repartição de finanças.
Criticou, por considerar que esse título poderia dar azo a várias interpretações e que revelava segundas intenções por parte do Jornal. Ora, quando questionado pelo director deste jornal, Alfredo Oliveira, sobre quais seriam as segundas intenções, refugiou-se numa conversa particular que teve anteriormente com Alfredo Oliveira para não as explicar. Senhor Constantino Veiga uma coisa são as conversas de café e outra, totalmente diferente, são as reuniões de Junta. Será que o Senhor não é capaz de explicar “oficialmente” quais são essas segundas intenções?
E por falar em interpretações, o que terá movido o senhor Tesoureiro a sair em defesa do presidente da Junta. Porque será…?

jcunha@reflexodigital.com

 

BOL$A DAS TAIPAS
Quinta-feira, Maio 2, 2002

EM ALTA

Cândido Capela
Sem dúvida que é uma mais valia a sua presença na Assembleia de Freguesia. Demonstra estar disposto a trabalhar pelas Taipas e a apresentar propostas válidas. Teve intervenções bem preparadas, claras e sempre com conteúdo. Poderá, por ventura, vir a ser “um osso muito difícil de roer” para Remísio Castro. Uma frase chave por ele pronunciada nesta Assembleia poderá dizer mais do que mil palavras “não andaremos de chapéu na mão, o que se tem direito não se pede, exige-se!”.
Já agora, foi dos poucos intervenientes que não abordou o assunto das chaves. Porque será?

Remísio Castro
Não se deixou intimidar pelas caras novas da oposição e teve ainda discernimento para dar algumas piadas aos seus adversários. O assunto das chaves voltou a ser tema e aqui agiu como um verdadeiro político. Não tendo qualquer fundamento a sua atitude, em não atribuir as chaves aos vogais da Junta, conseguiu fazer passar a mensagem que mais lhe convinha, o assunto é ridículo e a oposição não saiu bem neste capítulo.
Quando questionado no ponto da Conta de Gerência e Relatório de Actividade2001, sobre se as Festas de S. Pedro estariam englobadas nesse relatório de contas, teve uma afirmação infeliz e até duvidosa, ao afirmar “devem estar” (!)

Armando Marques
Uma estreia nestas andanças que foi, até certo ponto, bastante positiva. Não deve esquecer que está ali em representação da U.T. , foi por esse “partido” que foi eleito e não pelo PSD, que não teve a coragem política de apresentar um candidato para as Taipas nas últimas autárquicas.
Uma das suas virtudes foi a espontaneidade nas contra-respostas.
 
Manuel Ribeiro
A convocatória era demasiadamente extensa. Será que assuntos como a discussão do Plano de Actividades e Orçamento não mereciam uma só Assembleia, para serem debatidos? Recorreu demasiadamente à Lei para justificar algumas atitudes e acabou por ficar, por vezes, encurralado nas malhas da Lei. Terá estado mal ao não proporcionar ao público a possibilidade de intervir. No entanto, foi ele que acabou por provocar o único deslize de Remísio Castro, ao questionar as contas das Festas de S. Pedro. Foi uma Assembleia com um estilo diferente, com maior abertura, vamos ver que frutos esta nova gestão poderá proporcionar aos Taipenses.

EM BAIXA

Manuel Marques
Fez lembrar o PCP, um discurso previsível e fatigado a necessitar de renovação. Foi o primeiro a trazer de novo o assunto das chaves, está tudo dito!
Tem que dar uma volta ao seu discurso caso contrário vai ser uma presa fácil para Remísio Castro.

Mário Dias
Será que alguém dos presentes naquela sala, não sabia que Mário Dias foi o Presidente da Assembleia de Freguesia nestes últimos oito anos? Bem, mas se alguém não o sabia, com certeza ficou a sabê-lo, tantas foram as vezes que o mencionou.
Nota-se alguma fragilidade de quem esteve tantos anos a mandar e agora vê-se do outro lado da barricada. Teve uma “actuação” pobre e acabou muito mal com aquela história das senhas para justificar a continuação da Assembleia. Espera-se mais de um “dinossauro” da vida política Taipense.

Luís Veloso
Fez o jeito ao seu colega da bancada ao propor um voto de Louvor para o Clube de Pesca, e quis saber quando iria ser pavimentado o lugar onde por acaso mora… e mais nada a dizer.

jcunha@reflexodigital.com