PUB
Bolo-Rei Escangalhado vai a tribunal
Domingo, Outubro 16, 2005

Agora que o Natal está à porta – sim… preparem-se porque as publicidades de Natal estão aí a espreitar – é a melhor altura para resolver o diferendo que opõe a Confeitaria Paula e a Pastelaria Nobreza, em Braga.

Em causa está a acusação de cópia do famoso “bolo-rei escangalhado”, inventado pela Confeitaria Paula e que muitos põe na mesa na altura do Natal.

Segundo a Agência Lusa, o advogado da queixosa adiantou que o julgamento ainda não tem data marcada, envolve a alegada prática de um crime de contrafacção, estando a “Confeitaria Paula” a pedir nove mil euros de indemnização.

A contrafacção do bolo – que tem como segredo a qualidade da massa, o recheio de chila e a profusão de frutos secos – terá origem na contratação pela pastelaria Nobreza de um pasteleiro que terá aprendido a fazê-lo na Confeitaria Paula.

A proprietária, Francisca Euzébia Araújo, conhecida como a “Paula”, disse à Lusa que mostrou muitas vezes ao pasteleiro o título comprovativo do registo no Instituto de Propriedade Industrial, avisando-o de que não poderia fazer igual.

No entanto, assinalou Francisca Euzébia Araújo, “logo que se mudou para outro lado, (o pasteleiro) começou a fazê-lo, e, para mais, sem a mesma qualidade”.

Enfim, esperemos por um doce desfecho deste caso.

Rfx/Agência Lusa

Artigos Relacionados