PUB
Boas notícias? Talvez sim ou talvez não!
Quarta-feira, Junho 11, 2014

A primeira é, sem dúvida, uma excelente notícia para Guimarães e para a “nossa” Universidade do Minho. A instalação, no Centro Avançado de Formação Pós-Graduada no Campus de Couros da UM, de uma nova unidade operacional da Universidade das Nações Unidas possibilitará o ensino e a investigação na área da governação electrónica.

A esta unidade estará cometido o papel de formar dirigentes oriundos de todo o universo em governação electrónica e um corpo docente assegurado pelas duas Universidades, a das Nações Unidas e do Minho.

O facto de Guimarães possuir um magnífico centro histórico, classificado pela Unesco como Património Cultural da Humanidade, de continuar a recuperar e a preservar o seu património edificado, como é o caso do local onde irá funcionar esta unidade, de ter sido recentemente Capital Europeia da Cultura, de ser, cada vez mais, uma cidade universitária com dois campus de uma Universidade de excelência e reconhecida internacionalmente foram, certamente, factores decisivos.

Quanto às eleições para o parlamento europeu, há duas conclusões que facilmente se podem extrair: primeira, apenas e lamentavelmente um terço dos eleitores exerceu um direito inalienável conquistado com abril, o de votar. É tempo dos responsáveis pelos partidos, todos os partidos, promoverem uma enorme reflexão sobre esta temática, sob pena desta situação se tornar irreversível; segunda, desse terço que cumpriu o dever cívico, o PS foi o que colheu maior número de votos, mais de 31% e a coligação Aliança por Portugal (PSD/ CDS) dos partidos que suportam o atual governo, apenas 27,7%. Se a vitória do PS não foi expressiva, a derrota da direita foi estrondosa! Marinho e Pinto, pelo MPT, foi a “grande” surpresa! Ultrapassou a barreira dos 7% e ultrapassou o Bloco de Esquerda que parece em queda livre!

Em Guimarães os resultados não foram muito diferentes do registo nacional. O PS foi, também, o partido mais votado com uma ligeira subida, comparativamente com 2009. A coligação Aliança por Portugal (PSD / CDS) perdeu votação e registou o segundo pior resultado de todo o distrito.
Más notícias, para o PSD / CDS, que não se ficaram pelo dia 25 de Maio. Na semana passada o Tribunal Constitucional voltou, felizmente e mais uma vez, a considerar inconstitucionais três normas do OE para 2014. Esta decisão dos Juízes do Palácio Ratton inviabiliza o corte de salários da função pública, a redução de pensões de sobrevivência e a tributação do subsídio de desemprego e de doença. Será que os nossos governantes se consideram seres superiores e acima da Lei fundamental?

Pelos vistos há quem julgue que não. Ainda bem!

26