PUB
Balneário da Idade do Ferro restaurado
Sexta-feira, Novembro 21, 2008

A Sociedade Martins Sarmento apresentou o resultado do trabalho desenvolvido no último ano na Citânia de Briteiros e que consistiu na valorização de um dos balneários existentes naquele castro.

Foi apresentado, no dia 21 de Novembro, na Citânia de Briteiros, o resultado do projecto de valorização do balneário da Idade Do Ferro existente naquele castro. O balneário, que antes se supunha ser um forno crematório, foi descoberto aquando da abertura, nos anos 1930, da estrada 309, que liga Briteiros (S. Salvador) ao Sameiro.

O monumento sofreu uma minuciosa operação de restauro e a zona envolvente foi analisada ao detalhe para que possa conhecer o funcionamento e utilização que eram dados ao balneário, que não está no seu estado original – algumas das pedras foram colocadas em operações de restauro anteriores e que não foram removidas.

O balneário é alimentado por uma caleira de pedra que desce a encosta do castro até a uma parte inferior da vertente, onde se localiza o balneário. A Citânia teria um outro balneário maior e mais exuberante em termos de decoração, mas que terá sido destruído na altura da construção da estrada.

O edifício estava organizado por um pátio, uma antecâmara e a câmara de sauna. Estes dos compartimentos são divididos por uma pedra formosa. É ainda visível a fornalha que permitia o aquecimento das pedras de granito. O edifício originalmente ficava incrustado do solo.

Gonçalo Cruz, arqueólogo da sociedade Martins Sarmento e um dos coordenadores do projecto, diz não existirem certezas acerca do tipo de utilização do equipamento: “há várias possibilidades. O balneário poderia ser utilizado para a higiene dos habitantes da citânia, para cuidados de saúde, como ponto de encontro e de convívio, ou então poderia ser utilizado para rituais”.

Este trabalho foi desenvolvido pela Sociedade Martins Sarmento, juntamente com a Universidade do Minho que forneceu apoio técnico. O projecto de valorização decorreu entre os meses de Julho de 2007 e Setembro de 2008 e foi financiado pelo Programa Operacional da Cultura, do anterior quadro comunitário de apoio.

De acordo com Gonçalo Cruz, está para breve o início dos trabalhos de limpeza do Castro Sabroso, a poucos quilómetros da Citânia de Briteiros, havendo a possibilidade de também ali se desenvolverem trabalhos arqueológicos de valorização.

Texto e fotos: Paulo Dumas e Manuel António Silva

Artigos Relacionados