PUB
Austeridade e Fraternidade
Sexta-feira, Fevereiro 3, 2012

A austeridade rima com fraternidade. De facto, se optamos por uma vida simples e austera, é para sermos mais fraternos. O dinheiro que gastaríamos em bens supérfluos será utilizado para projectos de interesse social.

Pode acontecer que algum de nós tenha muitos bens, enquanto outras pessoas muito próximas de nós não têm o suficiente para viverem com a dignidade de pessoas humanas. E então economizamos, pensando nos que não têm o suficiente para viver. E com isso não fazemos senão o que é de justiça, pois os bens deste mundo são de todos e devem chegar para todos. O pão que temos a mais não nos pertence; pertence ao pobre em cuja mesa não há nada para comer.

Austeridade rima com fraternidade. Por conseguinte, se levamos um estilo de vida simples, é porque para nós tem mais valor a partilha de bens.

Os primeiros cristãos chegaram a ensaiar um estilo de vida comunitário. Os que tinham bens vendiam-nos e depositavam o dinheiro aos pés dos apóstolos. Estes encarregavam-se de distribuir os bens pelos irmãos. Deste modo, ninguém passava necessidade.

Não podemos copiar hoje as soluções concretas encontradas pelos cristãos da primitiva comunidade de Jerusalém, até porque vivemos numa sociedade bem mais complicada. Mas interessa-nos perceber esse espírito de vida comunitária, onde há partilha e ninguém passa necessidade.

Austeridade rima com fraternidade. Quando se fala de partilhar, geralmente toda a gente pensa em bens materiais. Trata-se então de repartir coisas. E neste caso apenas poderiam partilhar alguns de nós, os que possuímos bens.

Há, porém, outros bens para partilhar: dar o nosso tempo a quem dele necessita, porque precisa de ser escutado; dar a nossa sabedoria, porque há alguém que necessita de um explicador voluntário; dar a nossa alegria, porque é preciso perfumar um ambiente triste e pesado; dar o nosso afecto, porque há alguém que vive na solidão não desejada e perdeu o gosto de viver.

Todos têm muito para dar. Ninguém é tão pobre que não tenha nada para dar generosa e gratuitamente.