Assumir as responsabilidades
Segunda-feira, Novembro 11, 2002

Vem a propósito este artigo de algumas conjecturas que alguns “recentes analistas” fazem em relação à situação que o país atravessa.
É preciso ter coragem em afirmar e acusar este governo de fazer ou não, certo e determinado tipo de acções; se formos a analisar com a seriedade e a honestidade a que a responsabilidade que temos nos obriga, não produziríamos tais afirmações.
Dizer que este governo é o responsável pela actual crise económica, é mentira; dizer que este governo é responsável pela actual crise social, é mentira.
E vamos aos factos.
Não foi o actual governo e o seu Primeiro Ministro, Dr. Durão Barroso, que provocaram eleições antecipadas. Foi o anterior. E a justificação que o Eng. António Guterres deu para se ir embora, foi que não queria ver o seu país a continuar mergulhado num pântano e afundar-se cada vez mais.
Se há um ano atrás já previa que o país estava a caminhar para a situação de descontrolo, só há um culpado, é o Partido Socialista e os seus governantes. Porque, caros leitores, o silêncio que o anterior Primeiro Ministro tem assumido é a prova inequívoca de que a vergonha por ter deixado o país na situação calamitosa, não dá crédito para contestar o que quer que seja.
Mas há alguns que pactuaram na anterior governação, que ainda vêm, com uma “lata” de bradar aos céus, dizer que, a culpa não é deles, que estiveram lá seis anos, é daqueles que entraram há seis meses.
Haja vergonha!
O assumir das dificuldades por parte deste governo contrasta pela cultura de facilitismo que o anterior incutiu na sociedade portuguesa. Porque todos nós sabemos que a vida não é fácil, só com trabalho e sacrifício é que temos algo. E não é a contornar as dificuldades que avançamos, não é com diálogo que conseguimos o progresso, é com decisões firmes que se consegue o futuro, e eu prefiro a decisão à indecisão. Tudo bem que algumas podem não resultar e serem erradas, a posteriori, mas o país tem que mexer e fazer reformas, é isto que este governo está a tentar fazer e que o anterior meteu na gaveta.

P.S. Já agora em relação ao aeroporto da OTA e listas de espera; o aeroporto é para ficar pronto em 2020 e as listas de espera são para terminar em finais de 2004. Não vejo nenhum incumprimento!

Sem mais despeço-me até ao próximo número.
E viva as Taipas!