PUB
Associação Humanitária dos Bombeiros vota alteração dos Estatutos
Sexta-feira, Julho 10, 2009

A entrada em vigor da Lei 32 de 2007 obrigou à reformulação da forma de funcionamento das associações de bombeiros.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários reúne amanhã em Assembleia-Geral para discutir uma proposta de alteração dos Estatutos e do Regulamento Geral Interno que regem aquela associação.

Esta alteração decorre da entrada em vigor do Regime Jurídico das Associações Humanitárias de Bombeiros publicada em 2007 e que delimitou um prazo de dois anos para que as associações se adaptassem às novas regras.

Esta sessão extraordinária está agendada para as 16.30 horas de sábado, 10 de Julho, no Salão Nobre das instalações dos bombeiros.

Além do ponto de discussão e aprovação dos Estatuto e RGI, poderão ser ainda expostos e discutidos outros assuntos de interesse geral para a Associação Humanitária.

Artigos Relacionados

Associação Humanitária pede propriedade plena de terreno
Quarta-feira, Abril 25, 2007

Com o propósito de recorrer a financiamento bancário para obras no quartel dos bombeiros, a Associação Humanitária pediu à Câmara Municipal a doação do terreno de 8 mil metros quadros onde se encontra o quartel dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas.

Será apresentada amanhã a discussão uma proposta para a doação do terreno onde e encontra instalado o quartel dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas.

Aquela parcela, com uma área de 8 mil metros quadrados, foi cedida pela Câmara Municipal de Guimarães à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caldas das Taipas, que detém o direito de superfície por um período de 50 anos – período a contar desde 21 de Junho de 2001, altura em que foi celebrada a escritura.

Agora, a Associação Humanitária solicitou à Câmara Municipal a propriedade plena do terreno, justificando pela necessidade de recorrer a financiamento bancário para proceder a obras no edifício.

O director da Associação Humanitária dos Bombeiros, referiu ao Reflexo que o quartel sofre de carências diversas, pelo que se torna urgente uma intervenção ao nível do edifício.

Padre José das Neves Machado refere que a estrutura central do edifício, onde estão as camaratas, a central telefónica e a sala de convívio apresentam fissuras bem visíveis que provam a debilidade estrutural em que se encontra o edifício, implantado sobre um lençol freático muito superficial.

A proposta de doação do terreno será votada amanhã na reunião quinzenal dos vereadores da Câmara Municipal de Guimarães.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados