PUB
As expectativas criadas serão defraudadas, diz o BE sobre a venda da Pensão Vilas
Segunda-feira, Julho 25, 2016

Numa reunião, entre representantes concelhios do Bloco de Esquerda e o executivo autárquico da freguesia de Caldelas, foram discutidos os processos da venda do prédio da Pensão Vilas e a futura gestão do polidesportivo do parque de lazer.

Uma delegação da Comissão Concelhia do Bloco de Esquerda de Guimarães, esteve na passada semana nas Caldas das Taipas, numa reunião com o executivo da Junta de Freguesia de Caldelas. De acordo com os responsáveis bloquistas, a reunião tinha por objectivo “esclarecer algumas questões que têm vindo a ser levantadas”.

Entre os assuntos abordados na reunião esteve a venda do edifício da antiga Pensão Vilas à ADIT – Associação para o Desenvolvimento Integrado das Taipas. A aliendação do direito de propriedade da Pensão Vilas, que foi confirmado pelo presidente do executivo, Constantino Veiga, representa um incumprimento das expectativas criadas pelo PSD, na altura da campanha eleitoral de 2013.

Joaquim Teixeira, coordenador do BE em Guimarães e deputado municipal, acrescentou que o edifício da antiga Pensão Vilas é “um edifício de elevado valor histórico e social para a freguesia deveria manter-se público”. E concluiu ainda sobre este tema ser “desagradável perceber que, depois de tantos investimentos feitos pela freguesia na aquisição do imóvel, o património será alienado sem ser assegurado o retorno total do dinheiro gasto”.

BE defende utilização livre e gratuita do polidesportivo do parque de lazer das Caldas das Taipas
Outro dos assuntos abordados na reunião da passada quarta-feira, 20 de Junho, foi a gestão da cooperativa Taipas Turitermas, onde se colocaram dúvidas sobre o cumprimento do objecto social da cooperativa, que é participada na sua maioria pela Câmara Municipal.

Joaquim Teixeira defendeu que a Taipas Turitermas deverá orientar os seus serviços para os taipenses, dando o exemplo da requalificação do polidesportivo no parque de lazer. Para Joaquim Teixeira, “não se justifica o investimento de mais de 1 milhão de euros do orçamento municipal na construção de um espaço de utilização paga, que irá concorrer com outros serviços disponibilizados por privados na mesma zona”.

Sobre o parque de lazer, a Junta de Freguesia adiantou que se encontra a negociar a aquisição dos terrenos entre o actual parque de lazer e a Praia Seca, para que a área de lazer do parque seja alargada ao longo do Rio Ave. Constantino Veiga defendeu que o polidesportivo deveria ficar localizado nessa área.

O BE defende que a utilização daquele espaço para a prática desportiva deverá ser feita de forma gratuita, à semelhança do que acontece em outros pontos do concelho de Guimarães “os taipenses merecem um espaço para a prática de desportos coletivos gratuita, como aliás já acontece em algumas freguesias do concelho” – concluiu o representante do Bloco de Esquerda de Guimarães.