PUB
Aprovadas as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2014
Sábado, Dezembro 14, 2013

Maioria socialista aprovou. PSD/CDS e CDU abstiveram-se

O presidente da Câmara, Domingos Bragança, considerou que, apesar da contenção e da situação financeira que o país atravessa, se estava perante “um bom orçamento”. Uma das preocupações continuará a ser a aposta na amortização da dívida, que rondará os 50 milhões de euros. Domingos Bragança referiu ainda que se estava perante o ponto de viragem para as freguesias do concelho, “vamos trabalhar com muita proximidade às freguesias. Neste plano está uma verba de 3,5 milhões referentes a transferências directas para as freguesias. No entanto, o nosso investimento, nas freguesias, ultrapassa em muito esses 3,5 milhões, pois existem outros investimentos, caso de novos centros escolares e acessibilidades que levarão esse investimento para cerca de 25 milhões de euros”.

André Coelho Lima, em nome da coligação Juntos por Guimarães, contestou esta visão e defendeu que a Câmara deveria ter aumentado as transferências directas: “O presidente da Câmara diz que há mais investimento nas freguesias para além das transferências directas. As juntas de freguesia não são delegações da Câmara, são autarquias eleitas. Dar mais competências e melhorar a sua forma de actuar passa pelo aumento do seu pacote financeiro”.
A abstenção da coligação, justifica André Coelho Lima, é “um sinal que respeitamos os resultados eleitorais. Por outro lado, trata-se de um orçamento que contempla muitas das propostas que foram sendo apresentadas por nós ao longo dos últimos anos. A parte económica é um exemplo, a captação de investimentos, o apoio ao emprego são áreas defendidas por nós e agora também contempladas”.

Torcato Ribeiro, pela CDU, referiu que o plano e orçamento deveria ser “mais ousado” e a abstenção justifica-se também pelo pouco investimento público e pelo abandono de algumas obras emblemáticas: “ Este orçamento deveria colocar mais obras públicas no mercado. Por outro lado, lamentamos que obras emblemáticas tenham deixado mesmo de constar neste orçamento, caso do convento das Dominicas (que já esteve orçamentado em 600 mil euros) e a requalificação de algumas ruas, caso da Caldeiroa”.

Artigos Relacionados