PUB
A mais curta reunião de Câmara do atual mandato
Segunda-feira, Março 7, 2016

A reunião foi presidida por Amadeu Portilha face à ausência de Domingos Bragança e faltaram ainda os vereadores Ricardo Araújo e Maria Helena Soeiro da coligação Juntos por Guimarães. Secundária das Taipas apresentou Erasmus+.

Foi curta, em termos de presenças, pontos da ordem de trabalhos e em tempo de duração, a reunião do executivo vimaranense do dia 3 de março. Contou, na sua fase inicial, com a presença de José Augusto Araújo que foi apresentar o projeto Erasmus + a desenvolver na Escola Secundária das Taipas.

Da ordem de trabalhos destaca-se a aprovação por unanimidade e sem discussão do plano de transportes escolares para o ano letivo 2016/2017, que consagra a oferta do serviço de transporte entre o local da residência dos alunos e os estabelecimentos de ensino básico e secundário.

No período de antes da ordem do dia será de destacar a presença do diretor da Escola Secundária de Caldas das Taipas que foi apresentar o programa Erasmus+ que a escola secundária da vila termal está a desenvolver.

A escola desta vila tem vindo a desenvolver ações de internacionalização desde 2010, com escolas estrangeiras, nomeadamente ao nível de parcerias envolvendo professores e alunos e ao nível de estágios envolvendo alunos, escolas e empresas. Nesses projetos já se desenvolveram mais de 42 mobilidades (saídas) de professores e de 81 alunos, envolvendo mais de uma dezena de países.

O plano estratégico da secundária de Caldas das Taipas passa pela sua internacionalização e destaca-se, atualmente, a sua integração no Erasmus+ que irá canalizar cerca de 185 mil euros para a escola aplicar na formação do seu corpo docente em cursos no estrangeiro (31 docentes este ano letivo) e 18 mobilidades de alunos e 3 de docentes para estágios de cursos profissionais em Espanha, França e Finlândia e de 3 docentes em atividades de “Job shadowing”. Este projeto está planificado para um horizonte temporal de três anos, prevendo envolver todo o seu corpo docente.

De salientar na intervenção do diretor da secundária das Taipas que uma das maiores dificuldades que a escola encontra na colocação de alunos estrangeiros nas empresas da região (16 em 2015 e 17 em 2016) passa pelo problema de arranjar uma residência a preços acessíveis para os meses que esses formandos passam em Guimarães.