PUB
Algum descontentamento com a data de encerramento do ano lectivo
Sexta-feira, Junho 9, 2006

A data de encerramento do ano lectivo da Escola Secundária das Taipas gerou algum descontentamento entre os alunos. O Conselho Executivo refere que não é uma situação da sua responsabilidade.

Alguns alunos dos 7º, 8º e 10º ano e até mesmo professores estão descontentes com a data de encerramento do ano lectivo 2005/2006 na Escola Secundária das Taipas. Ao que apurámos, as indicações fornecidas a toda a comunidade escolar foram as de que o ano terminaria a 9 de Junho e foi sendo lançado o alerta aos professores para terem em conta o cumprimento dos programas lectivos até essa data. Os alunos com necessidade de transportes públicos já tinham adquirido os respectivos “passes” até esse mesmo dia. O desagrado dos alunos surge no passado dia 7 de Junho quando foram confrontados com uma circular com o título “Ajustamento das actividades lectivas no período de preparação e realização de Exames” emitida pelo Conselho Executivo e endereçada aos Encarregados de Educação, cujo conteúdo contrariava todas as indicações dadas até à data.

Sobre este assunto, José Augusto Araújo, presidente do Conselho Executivo, referiu tratar-se duma situação que ultrapassa a responsabilidade do órgão executivo a que preside. “É verdade que tínhamos previsto o encerramento do ano lectivo do 7º, 8º e 10º ano para o dia 9 de Junho. No entanto, sempre foi salvaguardada a possibilidade disso não vir a acontecer uma vez que estava dependente de autorização superior, no caso, da Direcção Regional de Educação do Norte (DREN). Apresentámos à DREN em 17 de Abril a nossa pretensão e só há uns dias obtivemos resposta através de um Ofício Circular, enviado a todas as escolas, onde as indicações eram as de dar continuidade às aulas sem que isso prejudicasse o normal funcionamento dos Exames Nacionais e Reuniões de Avaliação de outros anos de escolaridade”.

José Augusto Araújo acaba até por admitir que também ele contava que as aulas pudessem terminar a dia 9 de Junho. No entanto, referiu, “o entendimento da DREN não foi esse e nós só estamos a cumprir as indicações de um órgão hierárquico superior”.

Fez ainda questão de desdramatizar a situação aludindo a que “mesmo terminando mais tarde, na pior das hipóteses, os alunos só terão de se deslocar à escola, 6 dias em duas semanas. Alguns nem essas 6 vezes terão de cá vir. A escola, devido à realização dos Exames Nacionais, vai continuar a funcionar nas próximas duas semanas a cerca de 40% do seu normal”.

Quanto à questão dos transportes referiu ser uma situação que até nem prejudica muito os alunos. “Fizeram bem em só ter tirado o passe até dia 9 de Junho. O restante dinheiro que necessitariam para adquirir o passe para a totalidade do mês é mais que suficiente para pagar os bilhetes das possíveis 6 vezes que tenham de se deslocar à escola até as aulas terminarem”.

Veja a Circular enviada aos Encarregados de Educação

Texto: Manuel António Silva

Artigos Relacionados