Algumas Ideias
Quarta-feira, Janeiro 2, 2002

O património edificado é um importantíssimo testemunho do processo como as cidades (leia-se no caso das Taipas: aglomerados urbanos) se desenvolvem ao longo do tempo. É possível ler a História no legado patrimonial que gerações passadas foram deixando às seguintes. Será, portanto, muito importante considerar a preservação de tais marcos, com o objectivo de preservar marcas históricas e (tão importante como) vincar determinada identidade.
É vulgar ignorar o património edificado quando, por exemplo, surge a necessidade de instalação de um equipamento. Os resultados são, por um lado, o agravamento da promiscuidade urbanística, alguma ineficiência dos serviços e/ou a continuação da degradação do existente que importa preservar. Por outro lado, as intervenções de requalificação/restauro em edifícios, deverão ser bastante cuidadas, podendo os resultados englobar-se num de três: primeiro, intervenções bem conseguidas (de que o caso da Junta de Freguesia parece ser um caso), segundo intervenções não muito conseguidas (por exemplo o Hotel das Termas) e, por último, intervenções inqualificáveis.
Podemos pegar em dois exemplos de edifícios que há muito tempo necessitam de uma intervenção, podendo as suas funções originais ser convertidas noutras necessárias à qualidade de vida e ao vinco da falada identidade das Taipas.
Como primeiro exemplo, o edifício dos Banhos Velhos. É inconcebível que tal edifício se encontre em tal estado de conservação, dada sua carga histórica e emblemática, para além da sua beleza arquitectónica. Este edifício seria por excelência o local ideal para a instalação de um museu dedicado ao termalismo que, desde tempos longínquos é motivo de identidade das Caldas das Taipas. Mas não só: o edifício tem capacidade para acolher uma galeria de exposições, não necessariamente relacionado com o termalismo.
Um segundo exemplo, o edifício onde chegou também a funcionar o Centro de Saúde, (Av. da República), teria uma estrutura perfeita para albergar um infantário, dadas as condições de espaço, da sua localização – ao mesmo tempo no centro da vila, muito perto do parque e afastado do congestionamento de trânsito. No entanto, como a necessidade de localização de tal equipamento terá já sido resolvida, a funcionalidade potencial do edifício não se esgota por aqui. A indústria de cutelarias tem nas Taipas uma referência incontornável. Porque não pensar para aquele espaço a instalação de uma sede duma associação industrial do ramo, um museu dedicado àquela indústria, um atelier dedicado à arte, enfim, será para além destas ideias uma questão de imaginação.
É evidente que não será de todo fácil dar um primeiro passo. Existirão problemas burocráticos que funcionarão como entrave. Mas é necessária vontade e determinação. Existem fundos estruturais da Comunidade Europeia que poderão ser aproveitados mas, para isso, são necessários projectos concretos e viáveis. Falta saber quem terá a força determinante para dar o primeiro passo.
Para além destes dois exemplos, existem outros que dado o seu potencial deverão ser aproveitados em vez de se reduzirem a um carácter espectante, nada dignificante para a imagem da vila.

Paulo Sousa