PUB
Activado Estado de Alerta Especial, nível Azul
Segunda-feira, Novembro 19, 2007

Associação Nacional de Protecção Civil coloca país em Estado de Alerta Especial, nível Azul, em função das previsões meteorológicas difundidas pelo Instituto de Meteorologia.

O forte vento e muita precipitação que o Instituto de Meteorologia prevê para os próximos dia para o território nacional, levou o Comando Nacional de Operações de Socorro da Associação Nacional de Protecção Civil (ANPC) a activar o Estado de Alerta Especial, nível AZUL, de 19 (2ª feira) até 21 (4ª feira) de Novembro.

Assim, as regiões do Minho Litoral, Estremadura, Beira Litoral, Beira Interior e Alto Alentejo serão as zonas do país onde, previsivelmente, a ocorrência de precipitação será mais elevada.

A ANPC prevê, pois, as seguintes ocorrências:
– Inundações em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
– Danos em estruturas montadas ou suspensas;
– Aumento do número de acidentes de viação, devido à existência de piso escorregadio e eventual formação de lençóis de água ou ao arrastamento de materiais sólidos para a via;
– Curto-Circuitos em casas antigas;
– Queda de árvores.

Perante este possível cenário, o organismo nacional de protecção civil recomenda à população atenção redobrada e a tomada das seguintes medidas de precaução:
– Aos avisos e recomendações das autoridades competentes, mantendo-se atento á situação;
– À desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes que possam ser arrastados;
– À limpeza dos bueiros, algerozes, caleiras e respectivos sistemas de escoamento;
– Ao fecho de portas e janelas assim como á arrumação de equipamento solto, caixotes de lixo ou outros objectos, em virtude de vento mais forte;
– À possível formação de lençóis de água nas vias, aumentando o perigo de acidente rodoviário.

A Protecção Civil recomenda ainda, tendo em conta as baixas temperaturas que se farão sentir, o uso de roupas quentes e alerta para o perigo de lareiras em locais fechados, sem renovação de ar, devido à produção de monóxido de carbono e ao risco de incêndio.

Artigos Relacionados