PUB
Abaixo-assinado é uma “declaração de guerra” – diz António Magalhães
Sexta-feira, Abril 3, 2009

Sobre as reivindicações levadas à Câmara Municipal por um conjunto de moradores de Ponte, “a Câmara fará o que tem a fazer e não adianta cortar estradas” – garantiu António Magalhães.

O abaixo-assinado entregue por um conjunto de moradores da freguesia de Ponte na Câmara Municipal de Guimarães é, segundo considerações do seu presidente, na reunião de Câmara do dia 2 de Abril, uma “declaração de guerra pública à Câmara Municipal em período pré-eleitoral”.

Recorde-se que, nas últimas semanas, um grupo de moradores daquela freguesia se manifestou sobre várias situações nomeadamente a falta de passeios em alguns arruamentos, a degradação de um lavadouro público e ainda sobre as ligações às redes de saneamento básico. Esta manifestação coincidiu e tomou forma aquando de uma visita à freguesia de Ana Amélia Guimarães, vereadora da CDU.

Todas estas questões tinham sido já abordadas na reunião anterior do executivo. No entanto, desta vez foi o abaixo-assinado que motivou a discussão. António Magalhães disse ainda a este respeito que a Câmara Municipal está disposta a dialogar, mas que não cede a quaisquer tipo de ameaças ou pressões.

As obras necessárias, de alargamento da rede de saneamento está a decorrer e para além das verbas que têm sido desbloqueadas serão necessários mais 8 milhões de euros. Nesta mesma sessão foi aprovada uma operação de financiamento no montante de 24 milhões de euros.

Entretanto, o presidente da Câmara garantiu que, caso os moradores necessitem poderão sempre recorrer aos serviços da Vimágua para procederem à limpeza das suas fossas sépticas. Um conjunto de recomendações foram entregues pela Câmara à Vimagua. A respectiva resposta, por parte desta empresa não foi ainda divulgada.

Texto: Paulo Dumas

Artigos Relacionados