PUB
AMAVE apresentou ideias e projectos para o Vale do Ave. A Via do Ave, para ligar o AvePark à A3, é uma delas
Terça-feira, Janeiro 23, 2007

Castro Fernandes disse que a AMAVE defende a continuação do Metro do Porto até à cidade da Trofa e a sua ligação à linha férrea Santo Tirso/Guimarães, a beneficiação da Via Intermunicipal, Joane/Vizela, a construção da Via do Ave, que irá ligar Vieira do Minho e Póvoa de Lanhoso, ao AVePark, nas Caldas das Taipas […]

Castro Fernandes disse que a AMAVE defende a continuação do Metro do Porto até à cidade da Trofa e a sua ligação à linha férrea Santo Tirso/Guimarães, a beneficiação da Via Intermunicipal, Joane/Vizela, a construção da Via do Ave, que irá ligar Vieira do Minho e Póvoa de Lanhoso, ao AVePark, nas Caldas das Taipas e ao nó da auto-estrada A3.

O Primeiro de Janeiro

Vale do Ave reclama medidas especiais

A Amave quer que o primeiro-ministro venha conhecer a realidade da região. E defende a adopção de medidas de protecção social para este território marcado por desemprego acima da média nacional e fragilidades na vertente da formação

Jornal de Notícias

Ave quer pelo menos mil milhões de euros de fundos comunitários

Tendo em conta a previsão do presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), Carlos Lage, que estima a atribuição à Região Norte de um total de oito mil milhões de euros dos 21,7 mil milhões do próximo Quadro de Referência Estratégico Nacional 2017-2013 (QREN), o Vale do Ave espera receber pelo menos mil milhões de euros, revelou ontem, em conferência de imprensa, o presidente da Associação de Municípios do Vale do Ave (Amave), Castro Fernandes.

Público

COMENTÁRIOS A ESTA NOTÍCIA
___________________________________________

A ligação do AvePark à A3 é fundamental para o desenvolvimento do Concelho, recentrando uma nova dinâmica de crescimento para Caldas das Taipas, centro urbano de maior proximidade desta infra-estrutura. Quando defendi contra muitos a ligação das Taipas ao nó de Silvares através da via do Ave, tinha a perfeita noção do peso do AvePark como elemento de pressão sobre a urgência na construção desta via. Não é por acaso que este projecto, via do Ave, de cariz intermunicipal constitui uma das prioridades da AMAVE. Fico satisfeito que do ponto de vista estratégico que a Amave coloque nas prioridades de investimento do QREN para a região, a construção da via do Ave
Carlos Remísio 2007-01-23 10:35h

A construção da Via do Ave, que ligaria Vieira do Minho e Póvoa de Lanhoso, ao AvePark, nas Caldas das Taipas e ao nó da auto-estrada A3 viria concretizar um antigo desejo dos taipenses, na medida em que melhoraria a nossa rede rodoviária, a necessitar de uma profunda reestruturação! Falta saber o que é que o Sr. presidente da Junta de Caldelas e não Caldas das Taipas, como o Exmo. senhor professor apregoa (perdoem-lhe esta gafe, é que o senhor não é das Taipas, por isso é natural que só saiba aquilo que lhe dizem…) já fez ou tenciona fazer junto da AMAVE para concretizar esse objectivo! Ou será que a Câmara de Guimarães também “controla” a AMAVE? A ver vamos…
Sérgio Araújo 2007-01-23 10:56h

Não será A11 em vez de A3!? Estou um pouco confuso, isto é o que faz ficar fora tanto tempo. Parabéns pelo portal, mantém sempre a nossa comunidade emigrante actualizada de forma cómoda e rápida.
Marco Pinto 2007-01-23 18:13h

Perguntava o Reflexo em 2001: “A via rápida é para quando?”.
Resposta do Presidente da Juta da altura: “É totalmente viável e indispensável a sua construção. É uma grande aposta minha e do Presidente da Câmara. É a nossa alternativa ao nó da auto-estrada Braga-Guimarães. A AENOR assumiu a sua construção até ao parque industrial de Ponte e a Câmara completará a ligação até às Taipas com a construção de uma nova ponte a jusante da actual.”
Tenho a sensação que o Eng. Carlos Remísio não foi capaz de colocar a ligação das Taipas à A3 na agenda política. E estou ainda mais convencido que a Câmara Municipal poderia ter conseguido que ela se concretizasse (à frente de outros projectos menos estruturantes). Uma coisa é certa: perderam a aposta.
Fonte: index.php?cat=5&item=769&dir=
Filipe Oliveira 2007-01-23 18:27h

O que o Sr. Sérgio Araújo quer sei eu… “a ver vamos” a idade é um posto. Respeite para ser respeitado. O Exmo. Sr. Professor é Presidente desta terrinha mesquinha onde o senhor mora e terá que viver. Deve rir-se de todas as suas introversões. Já não há paciência para aturar as suas intervenções.
Cropy 2007-01-25 19:23h

Oh Sr. Cropy (senhor sim, tem nome de palhaço, mas pode ser apenas um emigrante casaque…e por isso deve-se tratar por senhor, não vá o diabo tecê-las!!!) em primeiro lugar é bom que antes de escrever qualquer coisa num site que pode ser lido por centenas de pessoas, procure utilizar palavras que conheça, para não desonrar a Língua Portuguesa como fez…A rir estamos todos agora com as suas, e passo a citar “introversões”…Para alguém que quis vir trabalhar para as Caldas das Taipas por opção, e sempre foi muito bem recebida, é estranho ver alguém que se escuda de um Knickname apelidar de “terrinha mesquinha” aquela que é provavelmente a terra que o acolheu. Na verdade, mesquinha não é a terra, são as pessoas, essas sim, mesquinhas e sem carácter que mordem a mão que lhes dá de comer. E desde já peço desculpa por ter pensado que o senhor poderia ser um emigrante, muy dignos esses, porque claramente (que ingenuidade a minha!!!) não é… a verdade é que é muito português utilizar diminutivos para tudo e mais alguma coisa, e denegrir tudo o que é nosso…Porquê? Porque por pior que possa ser, a nossa vida miserável e inútil, é a única que temos…e alguém a pode querer roubar!!!
Deolinda Martins 2007-01-26 19:59h

Exma. Srª representante de Sérgio Araújo em bom português digo-lhe ” A TERRA É BOA. A SEMENTE É QUE É MUITO FRACA”
Mas como certamente ainda é uma jovem não deve conseguir distinguir o que é Politica de bairrismo.
Cropy 2007-01-29 12:53h

Artigos Relacionados