PUB
500 anos da Misericórdia de Guimarães
500 anos da Misericórdia de Guimarães
Quinta-feira, Dezembro 22, 2016

A monografia foi apresentada numa sessão pública pelo seu coordenador, António José de Oliveira. De 1511 aos dias de hoje, é retratada a “vida complexa da Misericórdia em Guimarães”, como referiu a atual provedora, Noémia Carneiro.

Numa edição com mais de trezentas páginas e com fotografias de Pedro Castro, o historiador António José Oliveira, juntou neste projeto outros seis autores (Maria Adelaide de Morais, Fernando Dias Conceição, Américo Costa, Maria José Meireles, Giampaolo Di Rosa e Maria Rui Sampaio), que abordaram temas e épocas diferentes da história e do património artístico secular da Misericórdia de Guimarães.

António José Oliveira referiu que o convite para a publicação desta obra remonta a 2011 e que desde essa altura o maior desafio foi ter definida a abordagem a seguir, “face à qualidade do acervo existente sobre o assunto”.

Para apresentar a obra esteve presente a atual provedora, Noémia Carneiro, que destacou o trabalho de António José Oliveira, para quem a Misericórdia de Guimarães “já não tem segredos”, o papel da Muralha, como “motor desta obra” e a Câmara Municipal de Guimarães, por ter patrocinado a edição.

Igualmente presente, Rui Vítor Costa, presidente da direção da Muralha, associação de Guimarães para Defesa do Património, afirmou que Guimarães tinha de reconhecer, com a edição desta obra, o trabalho secular da Misericórdia e que tinha sido uma honra ter participado no projeto que agora viu a luz do dia.

“A história da Santa Casa da Misericórdia também é a história de Guimarães”, foi desta forma que Domingos Bragança reconheceu a importância da edição dos “500 anos da Misericórdia de Guimarães”, na sua intervenção que encerrou a apresentação da obra, no dia 22 de dezembro, na Igreja de Santo António dos Capuchos.