PUB
20 razões para (não) participar nas Festas Nicolinas
Sexta-feira, Novembro 23, 2018

Estamos a uma semana do início das nossas Nicolinas. Habituamo-nos a ler (e a ouvir) mil e uma razões para participar nos festejos dos ‪‎estudantes de Guimarães. E porque não fazer uma lista ao contrário? Para ler com humor e perceber que, mesmo as razões pelas quais devemos participar, podem ser, afinal, motivos maiores para conhecer (ainda) melhor a nossa tradição.

JOVENS COM (POUCA) EXPERIÊNCIA
São as festas estudantis mais originais e mais antigas de Portugal e são organizadas por jovens sem experiência: têm entre os 15 e os 18 anos. Hummmm… alguma coisa não está bem!

TRAJADOS DE NEGRO
Podiam usar cores garridas e mais alegres. Não era mais “top”? Os dez elementos da Comissão de Festas vestem o Traje Nacional de Estudante, o popular “Capa e Batina”. Só em Guimarães e em Évora é que ainda se usa este traje no ensino secundário.

A NOITE DO PINHEIRO É FRIA…
Sim, é verdade. Quem, em abono da verdade, consegue conviver com amigos e fazer novas amizades numa noite fria e de chuva? Se ainda estivesse calor, sempre dava para duas de treta, tocar bombo e afinar a caixa numa… esplanada!

…E CHOVE MUITO, POR VEZES!
Se houver temporal, é banho pela certa! Por fora e por… dentro!

CAIXAS PINTADAS
Há quem decore as peles de caixas e bombos com imagens que são autênticas obras de arte, sinal do amor a uma Cidade e a um Clube. Para quê todo esse trabalho? Provavelmente, todas as cidades terão coisas dessas…

CUSTOS ELEVADOS?
Há pessoas que vêm propositadamente a Guimarães participar no desfile do Pinheiro. Há quem viaje do estrangeiro só para a noite de 29 de novembro. Uma vídeo-chamada não resolvia?

GENTE A MAIS
Chegam a estar perto de 100 mil pessoas nas ruas de Guimarães. O Pinheiro passa pela multidão, puxado ao ritmo de várias juntas de bois. Devagar. E bem…

LOOOOONGO DESFILE
Esperar 3 a 4 horas a ver o Pinheiro desfilar, até ser erguido? E sempre com o (mesmo) ritmo sonoro? Exatamente da mesma forma há mais de 350 anos? Hmmmm… não convence!

FORA DE HORAS
O Pinheiro é sempre enterrado já de madrugada e, nessa noite, ficam-se a dever horas de sono à cama. Que é isto?! Divertirem-se até tão tarde…

NOITE SEM CARROS
Ninguém passa no centro da cidade. À frente do desfile, a “Boneca” determina a cadência dos toques. Faz a afinação do cortejo. Pelo caminho, há quem rasgue a pele da caixa e do bombo. Muitos, terminam ensanduichados no Campo da Feira e acabam abraçados ao tronco do Pinheiro. A chorar, por vezes. Não, não dá.

PROBLEMAS DE “OTORRINO”
No dia a seguir ao Cortejo do Pinheiro, vai acordar certamente com o troar das caixas e dos bombos nos seus ouvidos. Mas com vontade de voltar ao desfile…

TRADIÇÃO DEMASIADO ANTIGA
O que têm de especial as Festas? Lá por caminharem para os quatro séculos, sempre com a paixão e a determinação de homens e mulheres Vimaranenses, com a teimosia própria de quem se orgulha do seu bairrismo, não quer dizer que sejam algo de especial. Ou são?

NEM A GASTRONOMIA SALVA A NOITE DO PINHEIRO
Que tradição é esta, cuja ementa é sempre a mesma todos os anos? E aquelas coisas estranhas que se comem, tipo, rojões com castanhas, arroz com sangue, tripas de porco ou o bucho que faz transpirar?! Hmmmm… é tudo muito duvidoso!

MICHELIN?
Por falar em gastronomia, o que há de especial numa cidade cujo restaurante acaba de ser premiado com uma estrela que tem nome de pneu? Só pode ser uma cidade… sempre a abrir!

DANÇAS DE S. NICOLAU
“Publicidade” enganosa? Afinal, poucos dançam nestas Danças! É mais uma barrigada de riso do que outra coisa…

MAÇÃS PEQUENAS
São as Maçãzinhas o número romântico das Nicolinas! Pergunta dos tempos modernos: não bastava uma SMS ou uma declaração mais arrojada nas redes sociais? É mesmo necessário oferecer uma maçã (tão) pequena? Que não enche sequer a barriga…

AO RELENTO
Ainda está aí? Não desistiu? Então vamos continuar… abraçados em ombros, como nas Posses! Volta a noite, regressa o frio! Novamente ao ar livre, desta vez, a partilhar com a comunidade os bens alimentares que foram recolhidos. Porta a porta! Sim, a lareira (de casa) é bem mais quente…

(GRANDES) ROUBALHEIRAS…
Sejamos honestos: alguém gosta de ser assaltado? E se souber que a Polícia até é “cúmplice” nas Roubalheiras nicolinas? Uma loucura estas Festas!

RISCO DE FICAR AFÓNICO
Apanha que é… Pregão! Onde já se viu declamar de uma varanda para uma praça? A tarde toda? Sujeito a ficar rouco e sem voz? E, depois, como vai participar nos outros números das Festas?

TRADIÇÃO É (MESMO) ASSIM
Caixas, bombos, rufares, alegria e espírito nicolino! Mais um bom ano! Já só faltam 365 dias para nova antevisão às (nossas) Festas Nicolinas…