PUB
1940 -2020, 80 Anos e a maturidade democrática
Terça-feira, Janeiro 21, 2020

Caros Taipenses,

Comemoraremos neste ano de 2020 os 80 Anos da elevação da população de Caldelas a Vila! Foi a 19 de Junho de 1940 que a população Taipense recebeu a mais do que justa boa nova.

Estou certo de que a comissão a ser criada para as comemorações dos 80 Anos de elevação a Vila, anunciada na última Assembleia de Freguesia pelo Presidente da Junta Luís Soares, irá dar o relevo e a importância que merecem cada um dos momentos da história destes 80 anos. Mais do que comemorações vazias e alguns festejos formatados e órfãos de significado, importa sublinhar o percurso percorrido pelos Taipenses, enquanto comunidade, desde a mais do que justa elevação em 1940. Importa mostrar aos mais novos o que foi esta longa jornada e que mudanças e vantagens trouxe este momento maior da história das Taipas. Importa perceber as nossas conquistas enquanto comunidade e importa lançar bases para um futuro que queremos cada vez mais brilhante. Importa perceber que não raras vezes encontraremos na nossa história caminhos para um futuro melhor.

Tivemos oportunidade de aprovar também na última Assembleia de Freguesia, a proposta da Junta de Freguesia para a atribuição de medalhas de mérito da Freguesia a todos aqueles que exerceram o cargo de Presidente de Junta após o 25 de Abril de 1974. Esta parece-me a mais justa homenagem que se poderia fazer a todos aqueles que dedicaram a sua vida a servir os Taipenses. Contrariamente àquilo que muitas vezes é a palavra que cai na rua, o serviço à causa pública implica muitos sacrifícios, muitas vezes em detrimento dos mais próximos e dos mais queridos em favor de uma comunidade de desconhecidos e desconhecidas a quem queremos proporcionar uma vida melhor. Só aqueles que passaram por funções públicas na nossa Vila sabem do que abdicaram para servir o próximo e a comunidade. E quando falo naqueles que serviram a nossa Vila, falo mesmo em todos. Sem cor partidária, sem conotação política e sem sectarismos. Podemos muitas vezes não concordar com as opções daqueles que nos serviram, mas a nobreza do seu serviço é inabalável, independentemente do seu credo ou posição política. Aqui, caros amigos, chego finalmente ao título deste artigo de opinião. A maturidade democrática demonstrada pela Junta de Freguesia na proposição destas condecorações eleva a outro nível a política da nossa Vila. Não querendo eu acentuar as diferenças no momento em que vos falo deste momento de elevação, penso ser importante sublinhar a evolução das instituições da Vila e esta maturidade, em contraponto com a política de terra queimada que durante demasiados anos reinou na nossa Vila. Perdoem-me a sinceridade, mas a maturidade democrática também se faz de combate político e não de unanimismos. A maturidade democrática reside sempre na colocação dos interesses comuns acima dos interesses pessoais ou partidários, no constrangimento dos orgulhos pessoais em benefício do bem coletivo, na aposta no futuro da nossa comunidade em detrimento de interesses ou ganhos imediatos. A maturidade democrática constrói-se por cada um de nós e para todos nós.

Dito isto, caro leitor, quero sublinhar e louvar novamente esta atitude da Junta de Freguesia e a forma com ela demonstra a elevação e maturidade democrática da nossa Vila.

O futuro pertence a todos os Taipenses. Vamos construí-lo juntos e com a elevação e maturidade democrática que conquistamos e merecemos, honrando a nossa história e estes 80 anos que tanto nos devem orgulhar.