Deputados à Assembleia Constituinte homenageados em Guimarães
Deputados à Assembleia Constituinte homenageados em Guimarães
Quinta-feira, Janeiro 12, 2017

Assinalando a passagem dos 40 anos da Assembleia Constituinte, a associação Convívio homenageou dois dos protagonistas vimaranenses que estiveram em 1976 no Parlamento.

António Mota-Prego e Fernando Roriz foram os deputados vimaranenses da Assembleia Constituinte homenageados no sábado passado, 7, pelo Convívio – Associação Cultural e Recreativa. Tidos como uma “referência na formação do exercício da cidadania dos vimaranenses”, o presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança incentivou a associação a levar a cabo a elaboração das biografias destas personalidades para que o seu testemunho se mantenha no tempo. Da parte da edilidade, o edil garantiu todo o apoio à iniciativa.

Foi uma tarde de memórias vivida num ambiente de consternação. A notícia da morte de Mário Soares tinha sido dada algumas horas antes. À homenagem a António Mota-Prego e Fernando Roriz, seguiu-se um colóquio que assinalou os 40 anos sobre a Constituição de 1976.

Das memórias dos dias atribulados na Assembleia da República – “sendo que o próprio nome do Parlamento foi alvo de muita discussão”, recordou Mota-Prego, – fica sobretudo “o trabalho com pessoas despojadas de qualquer interesse”. O constituinte, eleito pelo Partido Socialista, lembrou ainda “os momentos de grande solidariedade na altura em que houve um cerco à Assembleia e que os deputados que estavam prevenidos partilharam alimentos com aqueles que nada tinham”.

Para Fernando Roriz, “o idealismo” que marcou aqueles tempos foi-se perdendo e, para o deputado então eleito pelo Partido Popular Democrático, “o Parlamento é hoje uma imagem pálida daquilo que foi a Assembleia da República em 1976”. “Para mim, a Assembleia Constituinte foi maravilhosa e muito aliciante”, disse o ex-deputado, notando que “foi o momento em que senti mais patriotismo”.

No colóquio estiveram o coronel Rui Guimarães que apelou aos jovens para que continuem o caminho da liberdade: “Atualmente, vivemos tempos muito difíceis mas não se esqueçam que o período da ditadura foi muito mais complicado”. Na plateia estava também Fernanda Mota-Prego, que enfatizou o papel das mulheres na revolução. Uma referência reforçada por César Machado, presidente da associação Convívio, que recordou os nomes da Lurdinhas do Sindicato e de Vírginia de Moura, ambas filiadas no Partido Comunista.